Piada literal de português: a porca que fazia dinheiro

Um camponês jogou no Totoloto e saíram-lhe 1.500 euros. O prêmio foi pago em três notas de 500.

Ao chegar a casa, o camponês viu a mulher à porta da rua com a porca gorda que possuía. Meteu a mão no bolso e tirou as três notas para lhas mostrar. Fê-lo com tanto azar, que uma rabanada de vento arrancou-lhe as notas e estas foram cair junto da porca. Esta, ao ver as notas, pensou que eram comida e devorou-as no mesmo instante, não dando a ninguém tempo para reagir.

Com as notas irremediavelmente perdidas, o camponês ficou desvairado, com vontade de matar a porca. A mulher acalmou-o, dizendo-lhe:

– Ó homem, não te aflijas; dás uma aguardente a beber à porca, enfias-lhe um pontapé nos fundilhos e o bicho vomita logo o dinheiro!

O camponês não tinha, de momento, aguardente em casa. Por isso, dirigiu-se com o animal à taberna mais próxima. Pediu duas aguardentes. Bebeu uma. Deu a outra à porca e mandou-lhe um bruto pontapé no rabo. E logo a porca: plock! Cuspiu uma nota de 500.

Quando viram aquilo, clientes e taberneiro ficaram de olhos esbugalhados. Era, pois, como a velha estória da galinácea dos ovos de ouro!

Diz o taberneiro:

– Vocemecê não me quer vender a porca?

Diz o camponês:

– O animal não está à venda ! Avie-me mais dois copinhos de aguardente, faz favor.

O homem bebeu um copo. Deu o outro à porca e atirou-lhe outro xuto no rabo. A porca, plock! Regurgitou outra de 500, deixando todo o mundo novamente estupefacto!

O taberneiro insistiu na compra do animal, mas o camponês repetiu que o bicho não era para vender. E pediu-lhe:

– Avie-me mais dois copinhos, faz favor!

Pela terceira vez, bebeu um copo, deu o outro à porca e repetiu o pontapé no traseiro do animal. E a porca: plock! Mais uma nota de 500 pela boca fora!

O taberneiro ficou desvairado:

– Ó senhor, dou-lhe já aqui 10.000 euros à vista. E vocemecê vende-me a porca!

O camponês respondeu:

– Tá bem! Fique lá com o bicho e passe-me cá o dinheiro, que eu tenho que ir andando à minha vida! Meteu os dez mil ao bolso e saiu.

No dia seguinte vinha no jornal da terra:

“Taberneiro completamente embriagado mata, sabe-se lá por quê, uma porca aos pontapés!”

Um comentário em “Piada literal de português: a porca que fazia dinheiro

  • 23 de novembro de 2009 em 16:16
    Permalink

    essa piada ñ tem graça, coitada da porca

    Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: