Peixe-robô com a aparência de atum vai patrulhar a costa dos EUA

BIOswimmer - Espião Mecânico
BISBILHOTEIRO SUBMARINO

Voando no ar, a meio caminho do céu habitado por satélites espiões, até besouros, abelhas e libélulas mecânicas já bisbilhotam para o Departamento de Segurança dos EUA o que se passa aqui no chão dos andantes, pulantes e rastejantes.

E na água, como será feita a espionagem futuramente? Com certeza, nada de agentes secretos e marines armados até os dentes, submarinos cheios de mísseis e radares ou navios equipados com canhões e metralhadoras.

Os patrulheiros mecânicos, que mais parecem brinquedos de controle remoto, podem ser os mais novos responsáveis pela proteção da costa litorânea estadunidense nos próximos anos.

Em forma de atum, o veículo não-tripulado é chamado de BIOSwimmer – ou simplesmente Robô Tuna – e se encontra no segundo estágio de testes pela Boston Engineering Corporation.

O contratante da empresa de tecnologia militar é ninguém menos que o próprio Pentágono, em sua esquizofrenia bélica. No YouTube tem até vídeo mostrando um protótipo do projeto.

Robô BIOswimmer Peixe Amarelo

LIVRE PARA NADAR

Seu papel será patrulhar os mares em torno do país em busca de atividades suspeitas em portos locais, como o tráfico ou contrabando.

O controle é feito totalmente a partir de um laptop, mas o bicho mecânico também pode ter um computador de bordo e sistemas de comunicação.

O robô-atum é mais uma tecnologia inspirada pela natureza: o conjunto inteiro é mais veloz, a cauda flexível ajuda a fazer manobras rapidamente e a forma esguia o ajuda a entrar em espaços pequenos – como o interior de barcos naufragados.

O design do Tuna chama menos atenção do que robôs convencionais no mar – não que um atum amarelo e gigante seja tão comum assim, claro.

Para os inimigos que não morderem a isca, se cair na rede não deixa de ser um peixe. Tecnológico, mas um peixão e tanto!

Via LiveScience

Deixe um comentário interessante neste artigo: