Pássaros mudam jeito de cantar devido ao barulho das cidades


Canto do pássaro

BARÍTONOS E TENORES EMPLUMADOS

Do blog ECOnsciência

Agora que sabiás e bem-te-vis começam a dar o ar de sua graça com a aproximação da primavera, talvez dê para notar o fenômeno por aqui.

Os pássaros que vivem nas cidades estão cantando em uma frequência mais alta para serem distinguidos pelas fêmeas no meio do balbúrdia urbana.

Essa mudança causa, entretanto, um contratempo na hora do acasalamento: quanto mais alto o canto, menos sexualmente atraentes os machos se tornam.

Só como comparação, seria o equivalente a uma cantada no interior de um bar barulhento. Um homem elevaria a voz para ser ouvido pelas mulheres ao redor, mas ao fazer isso, também correria o risco de ser desprezado por falar alto.

Para chegar a conclusões com os pássaros, os pesquisadores acompanharam o comportamento do chapim-real (o Parus major).

Analisando a comunicação entre macho e fêmea, a paternidade das crias e as gravações com canto de aves com diferentes ruídos de fundo, a pesquisa concluiu que as os pássaros que cantavam em alta frequência atraíram bem menos fêmeas, em comparação com os demais.

Já os que mantinham a cantoria em baixa frequência eram mais propensos à, digamos, “fidelidade” da fêmea.

Publicado na revista “PNAS”, o estudo de autoria de Wouter Halfwerk e sua equipe da Universidade Leiden (Holanda) teve como proposta mostrar como o som das cidades afeta negativamente o canto dos pássaros.

Há até registro anteriores de aves que abandonaram por completo o canto da manhã e passaram a fazê-lo à noite para driblar a barulheira.

Fonte

* * *

Blog ECOnsciência Inovadora


Deixe um comentário interessante neste artigo: