Painel luminoso com cardume de peixes na decoração marinha

Decoração náutica e marinha

MEMÓRIAS DE UM TEMPO EM QUE VIVIA NO PARAÍSO

Uma lembrança da adolescência me ocorre ao achar na rede este painel luminoso com cardume de peixes para decoração das paredes de casas de praia, pousadas, hotéis, bares e restaurantes na orla marítima.

Aconteceu em Cabo Frio no período pouco anterior à invasão argentina de Búzios e à violenta especulação imobiliária que desfigurou as belezas naturais da Região dos Lagos, no estado do Rio de Janeiro.

Naquela época, as dunas da Praia do Forte começavam a se formar quase em frente ao hotel Malibu e se estendiam até perder de vista na altura do Foguete e do Monte Branco, para os lados do Arraial do Cabo.

A arrebentação era forte, propícia ao surfe ou jacaré e, quando o mar estava calmo demais, a caça submarina em apneia uma das atividades que eu costumava praticar com os experientes amigos nativos.

Decoração náutica e marinha

A expressão ecologia ainda não fazia parte dos dicionários e o produto da matança de garoupas, robalos e polvos, entre tantos, fornecidos para os hotéis da cidade, era torrado em noitadas no Boliche local.

Anos depois, para compensar os estragos participei de ações ambientais e campanhas para preservação da vida marinha promovidas pela AMARLA – Associação dos Moradores e Amigos da Região dos Lagos.

E então, numa manhã mergulhava no entorno do Forte de São Mateus quando de repente a água cristalina se turvou à minha volta e me vi no meio do turbilhão formado por um enorme cardume de tainhas.

Elas se dirigiam para a entrada do canal de Itajuru, que liga ao mar a lagoa de Araruama, em cujas águas rasas e mornas repletas de zooplânctons acontece anualmente o período de desova e procriação da espécie.

Decoração náutica e marinha

Com o arpão a ar comprimido armado, dei um tiro de puro reflexo, sem mirar nem nada, na direção daquele paredão de peixes. Não tinha como errar: acertei uma tainha de quase um metro e uns 6 quilos.

O feito foi festejado como uma proeza, verdadeira loteria. Afinal, onde já se viu alguém arpoar um bicho tão arisco, que só nada em grupo, é pescado com redes e só eventualmente fisgado por anzóis?

Enfim, é o que me vem à memória ao vislumbrar este cenário frenético formado por silhuetas – no caso, de atuns – recortadas a plasma em chapa de alumínio escovado para criar efeitos holográficos.

Observe que todo o quadro interno é revestido por lâmpadas LED multicoloridas, com várias opções de tonalidades e efeitos de iluminação operados através do controle remoto para harmonizar com o ambiente.

Painel iluminado com peixes

Interessados em encomendar painéis de temática náutica e marinha neste ou outro estilo devem entrar em Contato.

Deixe um comentário simpático no blog