Padre cai na tentação de cruzeiro e é castigado com naufrágio

Charge sobre padres pedófilos

QUANDO AS VERDADES VÊM À TONA

Do blog BananaPost

O nosso poeta maior, Mário Quintana, é quem tinha razão: “Esses padres conhecem mais pecados do que a gente…”

Pois um padreco italiano que pediu um tempo nas suas atribuições para se ausentar da paróquia, informando a seus fiéis que iria fazer uma semana de retiro espiritual, foi descoberto entre os sobreviventes do naufrágio do cruzeiro Costa Concordia.

Quem dedou a escapulida foi uma sobrinha que acompanhava o religioso, em mensagem divulgada no Facebook.

O padre, Don Massimo Donghi, havia comunicado aos fiéis de sua igreja em Besana Brianza, na região de Lombardia, que sairia para “meditar por alguns dias”.

Mas na realidade o pecador embarcou para uma esbórnia no fatídico cruzeiro que naufragou no último dia 13 em frente à ilha italiana de Giglio.

Don Massimo Donghi - Costa Concordia

O paradeiro real do mentiroso foi revelado horas depois da tragédia pela garota, que logo após chegar em terra escreveu uma mensagem na rede social dizendo que seu tio e ela estavam a salvo.

A sobrinha do padre explicou que eles conseguiram se salvar subindo em um bote salva-vidas que os levou até a ilha de Giglio, como fizeram tantos outros sobreviventes.

Os fiéis da paróquia ficaram muito surpresos com a notícia e agora pedem explicações ao padre sobre a mentira, cazzo!

Naufrágio do Costa Concordia

O cruzeiro Costa Concordia naufragou na sexta-feira, dia 13 de janeiro, após colidir em uma rocha nas proximidades da ilha de Giglio, na costa italiana da Toscana.

Mais de 4,2 mil pessoas estavam a bordo. Até terça, dia 24, 16 mortes haviam sido confirmadas. Ainda há desaparecidos, e prosseguem os trabalhos de busca.

Com Terra

Deixe um comentário simpático neste artigo: