Ovos de Páscoa: o chocolate que impulsiona a economia

Ovos de Páscoa - tradição

RECORDE DE VENDAS EM 2012

A Cachaça da Happy Hour

Até 4 de abril o promissor mercado de ovos de Páscoa estará impulsionando a economia brasileira em 2012. O volume de lançamentos e novidades vai superar a casa dos 11% dos produtos oferecidos em comparação a 2011. As estimativas de vendas são de, no mínimo, 10% a mais neste ano, puxadas pelo aumento do poder aquisitivo e de consumo da classe C.

O Brasil é o 3º maior mercado mundial de chocolates e, com volume de vendas previstas de 80 milhões de unidades de ovos Páscoa, as grandes redes de supermercados estão investindo em marcas próprias em 800 mil pontos de vendas, segundo a Abicab – Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados.

Os preços este ano estão em torno de 9% mais elevados, por causa do aumento da cotação do açúcar, e custos com energia elétrica e mão-de-obra, mesmo com a queda do preço do cacau em torno de 4,23% nos últimos 12 meses. Mas nada indica arrefecimento na procura.

Os números da Páscoa impressionam em vários sentidos, como as projeções de criação de empregos temporários: são mais de 71,5 mil vagas em todo o Brasil, 2% a mais que o ano passado. Destas, em torno de 12% deverão se tornar efetivas.

Neste mercado competitivo, a empresa norte-americana Kraft, proprietária da marca Lacta, detém a liderança do segmento nos últimos 15 anos e pretende, sozinha, atingir a meta de produzir 27 milhões de ovos. Para tal conta com 11.000 colaboradores, entre funcionários e temporários.

A Nestlé planeja escoar 17 milhões de ovos de chocolate e contratou 6.000 funcionários temporários. A Garoto projeta comercializar 20 milhões de ovos e admitiu 800 funcionários temporários na produção e 5,5 mil promotores de venda.

Fora as empresas que contratam na época da Páscoa, estarão presentes no mercado a argentina Arcor, que pretende vender 6 milhões de ovos, e a Pandurata, que importa a marca Hershey’s — algo em torno 2 milhões de unidades, um aumento de 20% comparado ao ano passado.

O Estado de São Paulo é responsável por 45% do consumo de ovos de Páscoa no Brasil. O Paraná espera um aumento de 10% do volume de vendas comparado ao de 2011. Já em Minas Gerais, onde a tradição não tem a mesma força que no restante do país, o aumento será pouco expressivo — em torno de 5%.

As franquias de chocolates, que só tiveram o que comemorar em 2011, espera a repetição do ótimo desempenho com a expansão das redes de varejo. Somente a Cacau Show espera aumentar em 23% o volume de vendas, graças ao lançamento de produtos mais sofisticados.

A Páscoa foi uma data fixada durante o Concílio de Nicea, em 325 d.C, como sendo “o primeiro domingo após a primeira Lua Cheia que ocorre após ou no equinócio na primavera boreal”. Principal festa dos judeus, é conhecida também como “Festa do Pão Azimo” pelos cristãos.

Sem dúvida, o feriado que encerra a Semana Santa em 2012 será saboroso aos paladares do povo e promissor para a economia brasileira.

Com Pravda

Deixe um comentário simpático neste artigo: