Os Estatutos do Homem e as manipulações da mídia

Vivemos mesmo tempos bastante paradoxais.

É provável que o Brasil nunca tenha sido tão feliz quanto nesse momento. Embora quase 95% dos brasileiros professem abertamente a sua satisfação, o perigo volta a nos rondar.

Uma pequena minoria tenta pisotear, esmagar essa tenra tentativa de se fazer justiça social que agora começa finalmente a germinar.

O espectro mais tenebroso dos interesses minoritários contrariados ganha contornos menos difusos através das repetidas tentativas de manipulação da opinião pública pela mídia.

Há exatos 46 anos passamos por situação bastante parecida, que culminou com um longo período de trevas e imbecilidade.

Apesar da dor daquele momento, o poeta levantou sua voz para legar às futuras gerações uma das mais candentes obras em defesa da igualdade entre os seres pensantes. Nunca foi tão atual.

OS ESTATUTOS DO HOMEM (Ato Institucional Permanente)

Por Thiago de Mello *

Artigo I

Fica decretado que agora vale a verdade.
agora vale a vida,
e de mãos dadas,
marcharemos todos pela vida verdadeira.

Artigo II

Fica decretado que todos os dias da semana,
inclusive as terças-feiras mais cinzentas,
têm direito a converter-se em manhãs de domingo.

Artigo III

Fica decretado que, a partir deste instante,
haverá girassóis em todas as janelas,
que os girassóis terão direito
a abrir-se dentro da sombra;
e que as janelas devem permanecer, o dia inteiro,
abertas para o verde onde cresce a esperança.

Artigo IV

Fica decretado que o homem
não precisará nunca mais
duvidar do homem.
Que o homem confiará no homem
como a palmeira confia no vento,
como o vento confia no ar,
como o ar confia no campo azul do céu.

Parágrafo único:
O homem, confiará no homem
como um menino confia em outro menino.

Artigo V

Fica decretado que os homens
estão livres do jugo da mentira.
Nunca mais será preciso usar
a couraça do silêncio
nem a armadura de palavras.
O homem se sentará à mesa
com seu olhar limpo
porque a verdade passará a ser servida
antes da sobremesa.

Artigo VI

Fica estabelecida, durante dez séculos,
a prática sonhada pelo profeta Isaías,
e o lobo e o cordeiro pastarão juntos
e a comida de ambos terá o mesmo gosto de aurora.

Artigo VII

Por decreto irrevogável fica estabelecido
o reinado permanente da justiça e da claridade,
e a alegria será uma bandeira generosa
para sempre desfraldada na alma do povo.

Artigo VIII

Fica decretado que a maior dor
sempre foi e será sempre
não poder dar-se amor a quem se ama
e saber que é a água
que dá à planta o milagre da flor.

Artigo IX

Fica permitido que o pão de cada dia
tenha no homem o sinal de seu suor.
Mas que sobretudo tenha
sempre o quente sabor da ternura.

Artigo X

Fica permitido a qualquer pessoa,
qualquer hora da vida,
uso do traje branco.

Artigo XI

Fica decretado, por definição,
que o homem é um animal que ama
e que por isso é belo,
muito mais belo que a estrela da manhã.

Artigo XII

Decreta-se que nada será obrigado
nem proibido,
tudo será permitido,
inclusive brincar com os rinocerontes
e caminhar pelas tardes
com uma imensa begônia na lapela.

Parágrafo único:
Só uma coisa fica proibida:
amar sem amor.

Artigo XIII

Fica decretado que o dinheiro
não poderá nunca mais comprar
o sol das manhãs vindouras.
Expulso do grande baú do medo,
o dinheiro se transformará em uma espada fraternal
para defender o direito de cantar
e a festa do dia que chegou.

Artigo Final

Fica proibido o uso da palavra liberdade,
a qual será suprimida dos dicionários
e do pântano enganoso das bocas.
A partir deste instante
a liberdade será algo vivo e transparente
como um fogo ou um rio,
e a sua morada será sempre
o coração do homem.

Santiago do Chile, abril de 1964

* O amazonense Thiago de Mello, 84 anos, é um dos maiores poetas brasileiros.

4 comentários em “Os Estatutos do Homem e as manipulações da mídia

  • 21 de abril de 2010 em 00:00
    Permalink

    Boa analise do Rovai na Revista Forum. Um trechinho:

    (…)”A ação deste fim de semana que envolveu a Veja (com a capa do Serra de mãozinha no queixo), o jingle da Globo fazendo campanha pelo “Brasil pode mais” em nome dos seus 45 anos (sendo que o número 45 da Globo é igualzinho ao 45 do PSDB) e a pesquisa Datafolha que apresenta números contraditórios com a tendência de outros institutos, é mais uma demonstração de como a mídia comercial é o verdadeiro partido político da oposição demo-tucana.

    Sem esses veículos de comunicação, Serra e sua turma teriam chance zero nas próximas eleições. Eles sabem que para que o candidato tucano tenha alguma possibilidade de vitória terão de jogar todas as fichas nele. Parecem estar dispostos a isso.

    A ação da Globo, Veja e Folha não se deu ao mesmo tempo por coincidência. É algo articulado e para testar força. Quase como um ensaio de golpe. Algo muito comum quando os militares buscavam articular a derrubada de um governo democrático na América Latina.” (…)

    Completo aqui: http://www.revistaforum.com.br/sitefinal/Blog/default.asp

    Resposta
  • 20 de abril de 2010 em 22:05
    Permalink

    Alô, alô, galera! Duas sugestões de leitura sobre golpismo e manipulação da imprensa.

    1º) Rodrigo Vianna:
    http://www.rodrigovianna.com.br/palavra-minha/pt-erra-ao-subestimar-a-forca-da-velha-imprensa-ali-kamel-esta-na-coleira-pronto-para-o-ataque-final

    2°) Washington Araújo:
    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=586JDB003

    Também dou meus parabéns pelo blog e por suas conviccções democráticas. Você ganhou meu respeito e um novo admirador.
    Wlado

    Resposta
  • 20 de abril de 2010 em 21:34
    Permalink

    Lendo agora o que vc escreveu me lembrei daquele poema “No Caminho com Maiakóvski” [que não é de Maiakóvski] do genial Eduardo Alves da Costa:

    “[…]
    Na primeira noite eles se aproximam
    e roubam uma flor
    do nosso jardim…
    e não dizemos nada.

    Na segunda noite, já não se escondem;
    pisam nossas flores,
    matam nosso cão,
    e não dizemos nada.

    Até que um dia,
    o mais frágil deles
    entra sozinho em nossa casa,
    rouba-nos a luz, e,
    conhecendo nosso medo,
    arranca-nos a voz da garganta.

    E porque nunca dissemos nada,
    já não podemos fazer mais nada.
    […]”

    De memória, acho que é isso. Mas em resumo: com a Globo, tudo a ver…

    Resposta
  • 20 de abril de 2010 em 21:01
    Permalink

    Meupaicelestial! Não sei o que é mais bonito, se o grafitti da menininha colhendo a rosa “estrelada” ou se o poema do Thiago. De toda forma, parabéns pela sensibilidade desta combinação. Lindo, lindo, lindo……….

    Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: