Os 20 Mandamentos do jornalismo praticado pela velha mídia

Charge JN Rede Globo

JORNALISMO DE ESGOTO

O Chefe de Redação

Enquanto a editora Abril não decide se mete logo o pé no redator-chefe da revista Veja — as especulações sobre o motivo da possível saída vêm provocando o maior disse-me-disse na imprensa –, vale lembrar as contribuições que Mario Sabino deu, juntamente com Eurípedes Alcântara e Lauro Jardim, ao que na blogosfera independente se convencionou chamar de “parajornalismo”.

As 20 práticas do “jornalismo de esgoto” encontraram ressonância em todos os veículos da velha mídia, em especial os das organizações Globo sob o comando de Ali Kamel.

OS XX MANDAMENTOS DO PARAJORNALISMO INVADISGATIVO

I – Amar os furos sobre todos os perjúrios.
II – A sua privacidade termina onde inicia a minha gazua.
III – A factoide dado não se olha a fonte.
IV – Amar a insídia sobretudo na mídia.
V – Todo repórter pulha da pauta tem um editor que pilha a pauta que pariu.
VI – Uma imagem vale mil editoriais. Flagre a que mais ultraje aos nossos propósitos.
VII – Um editorial ou coluna pode ser contestado. Uma imagem ruim, dificilmente. Vai ser creditado a equipamento ou competência deficientes.
VIII – Readapte a Lei de Talião. Olho no caolho, lente no dente (cariado, principalmente).
IX – Político nosso beija criancinhas por ser filantropo, o político inimigo por ser pedófilo.
X – Político nosso sempre será abraçado pelo povo que o ama, o político inimigo sempre agredido por ser odiado.
XI – Político nosso confabula em prol de um país melhor, o político inimigo sempre faz lobby, consultoria ou passa informação privilegiada.
XII – Político nosso sempre medita de olhos fechados, o político inimigo sempre estará em coma alcoólico.
XIII – Político nosso tem tremores por ter Mal de Parkinson, o político inimigo sempre tem Delirium Tremens.
XIV – Político nosso sempre aplaude, o político inimigo sempre faz top-top.
XV – Político nosso dando dinheiro aos eleitores sempre redistribui renda, o político inimigo sempre compra votos.
XVI – Político nosso sempre será disléxico ao soletrar errado, o político inimigo sempre erra por ser analfabeto.
XVII – Político nosso sempre presta contas ao povo, o político inimigo sempre faz propaganda própria e abusa de verbas publicitárias.
XVIII – Político nosso flagrado sempre terá o benefício de “suposto caso”, o político inimigo sempre já estará julgado pela imprensa nossa e condenado pelos nossos e-leitores.
XIX – Político nosso nunca terá seu nome/partido nominado quando apanhado com a urna na botija (use o genérico ” Oposição”). Político inimigo sempre será identificado com a sigla do partido/estado e a pior foto.
XX – Não temas quando o chão lhe faltar aqui, navegarás em outros canais com bolsas generosas de institutos nossos. Dizem que o cheiro é fétido mas O Sole Mio cantado sem sotaque, compassados pelos borbulhos dos remos silenciosos, excelente, e sua única preocupação será o aquecimento global e o aumento do nível dos oceanos e a possibilidade dos excremento dos pombos cairem na sua cabeça.

Mandamentos obtidos no blog do Wilson Yoshio

* * *

O Chefe de Redação


Deixe um comentário interessante neste artigo: