O vestido com teia sintética para a moderna mulher-aranha

DEIXE-SE GRUDAR NESSA MODA ARACNÍDEA

Spiber Qmonos Dress

Mais cedo do que se imagina, você poderá se envolver na teia dessa moda e usar vestidos feitos de seda sintética de aranhas.

A empresa japonesa Spiber criou a roupa para demonstrar as diferentes formas que o material extremamente resistente e incrivelmente leve pode ser usado no vestuário.

Sua fibra é baseada no mesmo sistema molecular da seda das aranhas. O tecido azul do modelo chama-se Qmonos.

A seda de aranha é 5 vezes mais forte que o aço e mais flexível que o nylon. Se fosse usada em coletes à prova de balas ela seria, pelo menos, mais resistente que o Kevlar, um tecido extremamente resistente, dependendo da espécie de aranha.

Os cientistas estão cada vez mais interessados neste tipo de seda por acreditar que poderia ser usado em praticamente tudo, desde cabos de paraquedas até vasos sanguíneos artificiais.

PROTEÍNA ARACNÍDEA

No entanto, criar aranhas em grande escala é extremamente complicado porque na ausência de presas elas costumam recorrer ao canibalismo como forma de alimentação.

Estranhas tentativas de produção artificial de seda de aranha já foram realizadas. Uma equipe norte-americana tentou modificar uma cabra geneticamente para produzir a proteína da seda de uma aranha em seu leite, mas a tentativa não foi bem sucedida.

A empresa que criou o vestido desenvolveu uma técnica através de genes modificados em bactérias para produzirem a fibroína, uma proteína estrutural encontrada na seda natural das aranhas.

Em seguida, uma tecnologia que também usa micróbios consegue ‘tecer’ a fibroína como um tecido, do mesmo modo que as aranha fazem.

A expectativa da Spiber é produzir 220 quilos de seda sintética por mês, ou 10 mil toneladas até 2015.

Com Jornal Ciência

Deixe um comentário simpático neste artigo: