O som dos violões e guitarras feitos com penicos reciclados

COM O PENICO NOS OUVIDOS

Do blog ECOnsciência

Violões, guitarras e banjos elétricos… Por que não radicalizar na reciclagem e transformar em instrumentos musicais velhos penicos femininos? As comadres de metal esmaltado que ainda se encontra em ferros velhos e cidades do interior se ajustam bem à nova função.

Sonoridade, a prova está no vídeo, é o que não falta na vasilha higiênica. Alguns preferem adaptações como ukulelês, as tradicionais guitarras havaianas. E na rede há uma boa variedade de bedpan guitars como esta vermelha, na Jugtones.

Guitarra penico comadre

A propósito do assunto — e para não perder a viagem –, algumas curiosidades: um tipo peculiar de penico, o Bourdaloue, foi elaborado especificamente para o uso das damas.

O formato retangular ou oval alongado do vaso, às vezes com a parte dianteira alta, possibilitava que a mulher urinasse de pé ou agachada sem grande risco de errar o alvo, o que também ajudava na redução da quantidade de roupas para lavar.

O nome Bourdaloue supostamente vem de um famoso padre católico francês, Louis Bourdaloue (1632—1704), que fazia sermões tão longos que as damas da aristocracia que o ouviam colocavam tais vasos discretamente sob as saias rodadas, com armações, para que pudessem urinar sem ter de sair do lugar. Todavia, isto muito provavelmente é só uma lenda.

Os penicos permaneceram em uso rotineiro, em especial nas áreas rurais, até meados do século XX, quando o uso crescente de banheiros com privadas gradualmente os substituíram.

Em alguns países, como a China (que possui uma grande população rural), eles ainda são encontrados com facilidade mesmo nos dias de hoje. Até porque vasos sanitários de se usar sentados ainda são uma raridade por lá.

Deixe um comentário simpático neste artigo: