O rock da eterna ‘bad girl’ Joan Jett no Lollapalooza 2012

COROA ‘MAL COMPORTADA’

A Cachaça da Happy Hour

Inteiraça em todos os sentidos, Joan Jett, a veterana entre as atrações do Lollapalooza, apresentou um show animado no qual a eterna bad girl cumpriu bem seu papel de inspiradora das adolescentes que formavam boa parte da plateia.

Já desde a abertura, com dois de seus maiores (e melhores) sucessos — Bad Reputation e Cherry Bomb –, entregou o barulho que havia prometido, com seu rock simples e direto, ora acelerado, ora lento, e um repertório cheio de canções com mais de 30 anos, o que não impediu a jovem plateia de fazer coro e se empolgar.

Usando uma roupa vermelha e brilhante, aparentando bem menos idade do que os 53 anos que tem na certidão de nascimento, a roqueira apresentou desde canções de sua primeira banda, The Runaways (como Cherry Bomb e You Drive me Wild), até novas composições como TMI e Hard to Grow up.

Joan Jett - roqueira no Brasil

Também mandou seus recados provocantes, fazendo jus à fama de mal comportada. “Amor entre duas pessoas é algo muito bonito, mas amor entre três pessoas é ainda mais bonito, especialmente se uma delas for eu”, disse antes de cantar a boa The French Song.

Acompanhada de seu quinteto, The Blackhearts, a cantora e guitarrista mostrou 17 canções em pouco mais de uma hora de show, encerrando de forma tão arrasadora quanto começou, com uma sequência que teve seu maior hit, a cover de I Love Rock n’ Roll, além de Crimson and Clover, I Hate Myself for Loving You e ACDC.

Visite o site oficial de Joan Jett

Deixe um comentário simpático neste artigo: