O poeta Romério Rômulo: todo cavalo é um monte de espinhos

Cavalo - cabeça

TODOS OS CAVALOS

os gados todos que andei em pelo
na carne dura, vou interrogá-los.
meu antro desastrado, meu novelo
selvagens putos, todos os cavalos.

cavalos são estrondos, são estradas.
cavalos são leões. suas voragens
repisam os estouros das manadas.
cavalos são estrelas e homenagens.

me vi na contramão destes cavalos.
eu, puro sangue, em desalinhos.
eles, impuros, bebem nos gargalos.
todo cavalo é um monte de espinhos.

romério rômulo

 

Um comentário em “O poeta Romério Rômulo: todo cavalo é um monte de espinhos

  • 15 de novembro de 2011 em 13:25
    Permalink

    Belo, vigoroso, audaz! parabéns ao poeta

    Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: