O Poeta de Meia-Tigela lança dois livros: Girândola e Miravilha

DISPONÍVEIS NA CAPOLAVORO EM PETRÓPOLIS

Escritor Alves de Aquino

Por Luciana Thees Vianna

Com a iniciativa de apoiar e divulgar autores no cenário literário petropolitano, a Capolavoro Livros segue com seu objetivo de aproximar clientes dos novos talentos brasileiros, criando um espaço para encontros e troca de conhecimento.

Assim, o sebo recém-inaugurado, traz um pouquinho do Ceará para a região serrana do Rio de Janeiro, através da figura d’O Poeta de Meia-Tigela e seus dois livros mais novos já disponíveis para compra: Girândola e Miravilha.

O Poeta de Meia-Tigela, como é conhecido Alves de Aquino, é um professor de filosofia que há 15 anos leva traz em sua poesia reflexões sobre a existência, aprofundando os seus significados.

Brincando com as palavras, segue nos labirintos dos enigmas da sociedade, dos lances da carne e do espírito, da tragédia do cotidiano e da injustiça brasileira. Ele ecoa cantadores repentistas, o pessimismo e o bom humor de Augusto dos Anjos, uma alquimia à La Guimarães Rosa, mas bem jovem, urbana e contemporânea.

Filósofo Alves de Aquino

Segundo a escritora Ana Miranda, O Poeta de Meia-Tigela é um homem recurvado pelo peso da quantidade daquilo que é inteiro e completo. Uma figura pensativa, atenta ao dentro e ao fora, com um desconfiado pé-atrás.

Suas lembranças, “confesso que não vivi”; suas referências literárias, Dostoiévski, Lúcio Cardoso, Gregório de Matos, Alcides Pinto…; suas inquietações, dúvidas, seu modo de ser, “o sórumbático” ao mesmo tempo só e sorumbático e rumba e ático (da Grécia Central), numa desconstrução e reconstrução de palavras que ele tanto aprecia.

Organiza tudo num quarteto, construindo uma estrutura à James Joyce, cada parte significando um elemento e função psíquica, trabalhando nas unidades e totalidades do mundo: terra/pensamento, fogo/sensação, ar/sentimento e água/intuição. Parece complicado, mas não é.

Os poemas são de uma riqueza infinita, enigmas para ocupar os professores por séculos, como dizia Joyce de seu Ulisses. Inteligentes, desafiantes e bons de leitura.

Disponível na Rua do Imperador 515, sala 03 (sobrado), Centro Histórico de Petrópolis, Rio de Janeiro.

Conheça também a página da Capolavoro no Facebook.

Deixe um comentário interessante neste artigo: