O macho moderno é beijinho, beijinho… tchau, tchau!

Triplo X - Macho Man?
Os homens têm se tornado tão abertamente afetivos uns com os outros através das novas tecnologias que agora terminam suas mensagens a amigos com até três beijos (xxx). Esta atual geração mais sensível é conhecida como metrotextual.

Estudos da empresa inglesa de telefonia T-Mobile revelam que quase um quarto – 22% – dos homens inclui regularmente um beijo nas mensagens de texto para outros amigos. O arquétipo do macho parece não ter mais vez na era digital.

A metrotextualidade é especialmente comum entre jovens de 18 a 24 anos, três quartos dos quais – 75% – frequentemente terminam seus SMS com um beijo. Praticamente a metade – 48% – admite sem o menor constangimento que a prática já se tornou comum entre seus amigos.

Quase um quarto de homens nesta faixa etária – 23% – até curte ver um “x” em mensagens de pessoas, mesmo que não sejam assim tããão próximas.

Agora, não são apenas os mais jovens que se tornaram metrotextuais – até os coroas já estão começando a aderir à onda: um em cada dez homens com mais de 55 anos frequentemente termina seus SMS lascando um beijo virtual no seu amigão do peito. E este número tende a crescer exponencialmente!

Mas a coisa é meio organizada: há certas convenções e regrinhas básicas de etiqueta para os adeptos da metrotextualidade. Um “x” minúsculo, por exemplo, é preferível entre a maioria – 52% – dos entrevistados. Outros 17% mais atiradinhos preferem um “X” grandão, em caixa alta, confiante como um beijão.

Só que um em cada três homens prefere ainda mais carinho dos amigos do mesmo sexo, com três delicadas bitocas – o triplo “x”… em letrinhas minúsculas, claro.

Da Blogosfera, com origem na Reuters

8 comentários em “O macho moderno é beijinho, beijinho… tchau, tchau!

  • 6 de novembro de 2009 em 14:42
    Permalink

    Ué? Porque todo esse falatório? Não entendi. Qual o problema de mandar uns selinhos pros amigos? Voces estão ultrapassados mesmo. Tem que se tocar que os tempos evolui, viu?

    xxx

    Resposta
  • 6 de novembro de 2009 em 08:18
    Permalink

    Meninos, vcs estão muito machistas. São os novos ventos da modernidade que sopram em sua direção. Vcs têm que relaxar e aproveitar… kkkkkkk

    Resposta
  • 6 de novembro de 2009 em 00:14
    Permalink

    Eu sou do tempo que homem que era Homem usava cueca samba-canção e gostava de bailar agarrado em mulher. Depois vieram as sunguinhas decoradas e a rapaziada passou a dançar separado. Aí chegou o funk, onde o negócio é sair no cacete, enquanto as garotas rebolam sozinhas. Agora, esse negócio de beijinho? Sei não, dona, parece que estás lascada!

    Resposta: Tô não, Amarildo. Meu “gato” é adepto desse tempo bom, dos boleros, de uma boa gafieira e de uma cueca bem folgada…

    Resposta
  • 5 de novembro de 2009 em 23:30
    Permalink

    Aêh, meu.!!!! Cheguei junto prá meter o cacete, mano.!!!! Que papo é esse de x, xx, xxx… Xixi.???? Tá me tirando, mano.???? Daqui a poco vão tirar as calcinha, mano.???? Se liga nessa, meu.!!!! Triplo X é pancada, meu.!!!! Se liga nessa.!!!! Pô, meu, essa frescura é sacanagem…

    Resposta
  • 5 de novembro de 2009 em 21:36
    Permalink

    Deixa eu dar uma sugestão aqui. Posso?

    Você fez essa postagem super divertida sobre os “metrotextuais”. Ok, tudo bem, só que embora o título do post seja perfeito – Crepúsculo do Macho -, ele remete ao livro do Fernando Gabeira, que não merece uma citação qualquer.

    Com toda a sinceridade, acho que você devia escapulir dessa armadilha.

    Não digo isso pelo valor intrínseco da “obra” que, sejamos sinceros, não vale merda nenhuma… e muito menos pelas posições políticas ambíguas desse “camarada”.

    É só um toque, Nivia, de um sujeito que, um dia, se encantou com o papo “verde” desse embusteiro metido a “progressista”. Só que a ficha caiu quando vi que a madame Gabeira também “pegava uma beira” (não é como vocês, mineiros, dizem?) pr’umas viagens internacionais à custa do Congresso.

    E ele, todo metido a “macho”, com aquele discurso moralista contra o Severino, lembra? E aí, como é que fica?

    Resposta: Tem toda a razão a razão, Paulo. Não vamos fazer propaganda para quem não merece. Ah, mas não mesmo! Já mudei o título do post. Obrigada pela colaboração.

    Resposta
  • 5 de novembro de 2009 em 17:14
    Permalink

    Eita!
    Eu nem sabia que isso existia (esse tar di metrotextuar).
    Sempre usei o “xxx” achando que era só um jeito “educado” de se despedir, tipo “até breve”.
    PÔ vou trocar a merda da assinatura correndo.
    O pior é que até o meu antivírus também é simbolizado por um “belo” ursinho Panda, bem “emo” (aff…)

    Fui ! rsrs

    Resposta
  • 5 de novembro de 2009 em 16:10
    Permalink

    Ói o papo desses ingleses… Bitoca? É ruim hem! Tambem tô fora, quinen o Vin diesel. Que creplúsculo, que amanhecer, que nada! Eu tô é em pleno meio-dia, de olho nas mina e com o sol a pino!

    Resposta
  • 5 de novembro de 2009 em 14:46
    Permalink

    Dear Mrs. Marylover,

    Eu querer deixar unequivocal que eu estar fora desse parada exquisite de metro isso or metro aquilo other. Metro, for me, is only aquilo que mede o envergadura de minhas musculars arms.

    Entendido?… ops… Understood?… ops, now… Did you understand me?

    Thank you very muito.

    Sincerely yours, Mr. Diesel

    Resposta: Rsrsrs… Quer me matar de tanto rir, Vin ‘Santana’ Diesel? Usei sua foto só de brincadeirinha. Sou sua fã. XXX

    Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: