O incrível milho colorido que lembra colares e pulseiras

Espiga de milho colorida

PARA COMER… E NÃO PENDURAR NO PESCOÇO

Do blog ECOnsciência

Sempre que alguma coisa “diferente” aparece na internet, logo surgem as dúvidas se a imagem passou por alguma manipulação no Photoshop.

Quem olha com bastante atenção, tem uma estranha sensação de ser um “milho de vidro colorido”, mas acredite, trata-se de uma autêntica espiga.

Os caroços são tão incrivelmente colorizado que lembram aquelas pulseiras ou colares femininos com contas ou pequenas pérolas.

A versão foi criada por Greg Schoen, da empresa norte-americana Seeds Trust. O pesquisador batizou sua “obra” genética de Glass Gem Corn ou “Milho Gema de Vidro.

A planta realmente é diferente de qualquer coisa que já tenha sido vista. Ela possui genes que foram coletados através de um único grão colorido derivado de cada espiga.

Durante anos, Greg guardou cada grão “bonito e colorido” que encontrava em milhos geneticamente modificados, escolhendo sempre os melhores.

A coloração dos grãos tem sido utilizada para desvendar um fenômeno estranho chamado de transposição ou “genes saltadores”.

Isso acontece, basicamente, quando trechos de DNA saltam de um lugar para outro na estrutura do genoma. Caso ‘pouse’ em um lugar designado para a cor do grão de milho, este, por sua vez, será alterado, resultando em uma grande gama de cores.

Apesar do incrível feito conseguido por Greg Schoen, os saltos de genes ocorrem o tempo todo. É possível encontrar, por exemplo, dois ou três grãos coloridos em espigas convencionais de milho encontradas em qualquer supermercado.

Com Jornal Ciência

Deixe um comentário interessante neste artigo: