O drama da sobrevivência das tartarugas marinhas brancas


Tartaruguinha de cor branca

CONTRASTE FATAL

Do blog ECOnsciência

Ao fazer uma pesquisa sobre tartarugas na Internet me deparei, por acaso, com algumas imagens espetaculares de filhotes recém-saídos dos ovos, mas de coloração quase que totalmente branca.

Coisa surpreendente para compartilhar, percebi logo que não se tratava de nenhuma espécie recém-descoberta de animal marinho. Pelo contrário, essas exóticas tartaruguinhas são apenas albinas.

De toda forma, enquanto a gente fala sinteticamente sobre esta anomalia genética, também pode ir examinando as fotos — e clicando nelas para ver algumas ampliações bem legais.

Filhote branco de tartaruga marinha

O albinismo é uma patologia congênita que os animais vertebrados podem herdar de seus pais — não necessariamente albinos — que impede o organismo de produzir o pigmento denominado melanina.

Como todo mundo sabe, é este composto proteico que dá cor à pele e protege da radiação ultravioleta emitida pelos raios solares.

Além da cútis incolor, os albinos (a expressão vem de “alvos”) costumam apresentar, no todo ou em partes do corpo, pelos esbranquiçados e olhos com pupilas avermelhadas.

Close de tartaruga albina

Assim como entre os humanos, no mundo selvagem a ocorrência costuma ser de 1 caso de albinismo para cada 15 mil ou 17 mil nascimentos em média.

Esta singularidade dá origem a numerosos mitos, lendas e práticas, freqüentemente tornando-os “sagrados” — como acontece com os elefantes brancos da Tailândia e com os bovinos também brancos da Índia.

Mas, se os humanos afetados pela disfunção se adaptam bem às atividades normais, para os animais, ao contrário, esta situação equivale a uma sentença de morte. A não ser que sejam preservados em zoológicos ou reservas manejadas.

Tartaruga branca

Não costuma ser o caso das tartarugas marinhas. Para elas, o albinismo representa um enorme desafio pela sobrevivência. Se os filhotes de coloração escura já são presa fácil para um sem número de predadores, imagine os que possuem a cor branca brilhante em contraste com as profundezas oceânicas.

Sabe-se que nos primeiros dois a três anos de vida as tartarugas jovens só conseguem sobreviver camufladas junto a aglomerações de algas e outros organismos com cores semelhantes à sua.

A conclusão é que a vida nos mares seria impossível para os animais albinos, mais vulneráveis aos predadores quando desprovidos do seu mimetismo natural. Até porque — para piorar — costumam apresentar outras anomalias de visão e conformação óssea craniana.

Tartaruguinha branca

As imagens acima são encontradas com facilidade na rede, em vários sites e blogs que abordam o tema da vida marinha e das tartarugas em particular. Para melhores resultados, as buscas devem ser feitas de preferência no idioma inglês.

Algumas fotos são creditadas ao Sea Turtle Conservation Center de Khram Island, perto de Pattaya, na Tailândia. Outros espécimes foram fotografados no Santuário de Tartarugas de Isla Mujeres, perto de Cancún, no México.

Bem, espero que esta rápida viagem tenha sido proveitosa para quem, como eu,  ainda não conhecia a curiosa — porém dramática — ocorrência do albinismo entre as tartarugas marinhas.

E, de novo, não se esqueça de clicar nas imagens para ver as ampliações.

* * *

Blog ECOnsciência Inovadora

5 comentários em “O drama da sobrevivência das tartarugas marinhas brancas

  • 9 de fevereiro de 2012 em 10:55
    Permalink

    Bom dia Marcos Eduardo, estou realizando uma pesquisa a respeito de tartarugas albinas, gostaria de saber se possui trabalhos a respeito para me ajudar, muito obrigado.

    Resposta
    • 9 de fevereiro de 2012 em 13:32
      Permalink

      Tenho não, Diego, infelizmente. O meu interesse pessoal pelo tema vem da época em que praticava mergulho e cheguei a ter contato visual, muito próximo, com estes animais enormes no fundo do mar. Foi uma das maiores emoções da minha vida.

      Só para você ter ideia, a tartaruga marinha é muito mansa e curiosa. Assim, quando ela te vê lá embaixo d’água, costuma dar várias voltas em torno de você, bem de pertinho, para te observar melhor. É quando alguns mergulhadores aproveitam para disparar criminosamente os arpões, como um tiro à queima-roupa.

      Se ajudar, Diego, dê uma olhada nas galerias de fotos abaixo e boa sorte nas suas pesquisas:

      http://www.buzzfeed.com/turtlefeed/albino-turtles-ruc
      http://www.chelydra.org/turtle_albino_photo_gallery.html

      Resposta
  • 24 de agosto de 2011 em 13:56
    Permalink

    Eu Achei D+ Muito Legal,Já Imagino Tipo Eu Chego Há Imaginar Já Penso, Se Os Tartarugas Ninjas Tivessem Um Membro Albino,Isso Seria Muito D+,Não É……

    Resposta
  • 19 de abril de 2011 em 22:44
    Permalink

    Lindas as fotos mas são de partir o coração.
    Triste saber que não tem muito jeito para elas.
    Igual aquela história do patinho feio…

    Resposta
  • 19 de abril de 2011 em 22:19
    Permalink

    Sensacional, cara. Esse negócio de tartaruga não é muito a minha praia não mas achei tudo muito bacana. Valeu pra caramba.

    Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: