O cordelista que ‘arrombou a festa’ pobre de Caê e Bial


A Voz do Cordel

UM TERREMOTO CHAMADO ANTONIO BARRETO

A Cachaça da Happy Hour (em 04/02/2010)

Por Paulo Maurício Machado *

Um cordelista, poeta e cantador lá das caatingas, como convém, surfa uma onda veloz para se transformar num dos nomes mais badalados da Internet na atualidade. Ele surge como uma espécie de poseidon pós-moderno a precipitar o terremoto que pegou todos de surpresa, inclusive o próprio artista.

Antonio Barreto, natural da pequenina Santa Bárbara, no sertão da Bahia, sequer imaginava que ao enfrentar duas celebridades apenas com a energia liberada por estrofes e rimas pudesse causar tamanho estrago. O impulso foi dado por um tsunami colateral de emails que inundou as caixas postais eletrônicas até verter para centenas – quem sabe milhares – de blogs, portais, fórums e redes sociais.

Foi um verdadeiro alagão!

ÍDOLOS DE BARRO

A magnitude do primeiro abalo já pôde ser sentida nos versos jocosos sobre Caetano Veloso: um sujeito alfabetizado, grosseiro e deselegante, inspirados nas recentes críticas do também baiano ao Presidente da República, a quem referiu-se como “analfabeto, grosseiro e cafona”.

A onda de choque que veio a seguir tampouco poupou o biógrafo oficial de Roberto Marinho, o falecido chefão das Organizações Globo. O dublê de apresentador Pedro Bial viu a sua imagem literariamente desconstruída pelo humor sarcástico rimado nas 25 septilhas de Big Brother Brasil, um programa imbecil.

“Foi devastador, a casa caiu”, testemunha a blogueira Nívia de Oliveira Castro, a primeira a registrar o impacto do sismo eletrônico involuntariamente desencadeado em fulminante escala pelo cordelista.

FAZENDO A FAXINA

Quer se concorde ou não com a magnitude das críticas, a força transformadora do também educador Antonio Barreto é acima de tudo higienizadora. E esta talvez seja a sua grande contribuição à coletividade: trazer o Cordel à superfície com a cumplicidade solidária dos internautas para questionar determinados modelos de deseducação espetacularizada.

Afinal, nunca antes na história da Internet nesse País, pelo menos que me recorde, este gênero literário alcançou tanta visibilidade fora do âmbito dos iniciados e das regiões geográficas onde compõe um precioso mosaico cultural.

O fato é que a literatura de cordel chegou logo arrombando a festa na poderosa rede virtual do Sul-Sudeste.

ARMA CONTRA O PRECONCEITO

Pela observação das opiniões deixadas nas caixas de comentários de blogs e redes sociais, é evidente a presença de enorme quantidade de jovens que mantêm seu primeiro contato com uma forma tão peculiar e envolvente de se fazer poesia.

Providencialmente, Raul Poeta alerta àqueles que ainda não atinaram para o significado dessa arte secular:

“Algumas pessoas – poucas, por felicidade – confundem as coisas e não conseguem captar o espírito da tradicional cordelança nordestina. Não há nada de pessoal nessas críticas rimadas! Os cordelistas escrevem de maneira jocosa, mas por vezes retratam realidades desesperadoras. Uma outra característica é o uso de recursos textuais como o exagero, os mitos, as lendas, e atualmente o uso de ironia ou sarcasmo para fazer críticas sociais ou políticas”.

E mergulha então no epicentro da questão:

“Usar uma imagem estereotipada como personagem também é muito comum, às vezes criticando a exclusão social e o preconceito, às vezes fazendo uso dos mesmos através do humor sarcástico”.

CONTRADIÇÕES PARA CONSCIENTIZAR

Didático, o próprio Antonio Barreto ensina que “o cordel é um instrumento eficaz de conscientização e, às vezes, o cordelista precisa utilizar certos recursos aparentemente bobos, contraditórios, alterar a sintaxe e etc, mas com a finalidade de alcançar o seu objetivo”.

Esse psicopedagogo, poeta e cantador que modestamente se define como “um sertanejo pacato e sem vaidades” tem buscado ainda mais serenidade para lidar com a repercussão do seu cordel. E conclui: “Isso pode ser passageiro, mas também pode tomar outra dimensão; aconteça o que acontecer, seguirei tranquilo e reflexivo”.

Esse é o problema!

Quando reflexões tão incandescentes saltarem da ponta da pena para a tela dos computadores novamente, o mais provável é que os sismógrafos virtuais emitam sinais de alerta para a possibilidade de ocorrência de novos tremores seguidos de tsunamis e chuvas torrenciais de emails.

E aí, outros poderosos que estiverem na reta vão desmoronar

* Paulo Maurício Machado é empresário, jornalista, publicitário e estudioso do desenvolvimento da Web e comportamento na blogosfera. Nas (poucas) horas vagas edita o blog Chefe de Redação, na Matéria Incógnita.

Veja os seguintes assuntos relacionados:

Caetano Veloso: um sujeito alfabetizado, grosseiro e deselegante

Big Brother Brasil, um programa imbecil

* * *

Blog da Nívia de Oliveira Castro

16 comentários em “O cordelista que ‘arrombou a festa’ pobre de Caê e Bial

  • Pingback: Matéria Incógnita – Inovação e Criatividade » Nas ondas do humor no futebol com o cordel da Copa do Mundo 2014

  • 18 de fevereiro de 2010 em 12:42
    Permalink

    O Professor Barreto traduziu com maestria os três desserviços, a tríade da idiotice: Bial, BBB e esse senhor caetano.

    Parabéns pela informação!

    Resposta
  • 11 de fevereiro de 2010 em 17:10
    Permalink

    Penso e se penso existo.

    Que bom se tivéssemos mais brasileiros e brasileiras tão verdadeiros, possivelmente nosso Brasil estaria mais iluminado e não sentiríamos vergonha de ser brasileiros.

    Pois quando leio notícias e vejo a situação de pessoas e classes aqui, sinto uma tristeza muito grande. Tristeza que me leva à impotência de não poder fazer nada. Tem muita coisa ruim acontecendo aqui nesse País. Quando na realidade temos tudo para ser a pátria do evangelho e celeiro do mundo.

    Sou professora. Me sinto doente, pois hoje somos uma classe achincalhada, abandonada. E me pergunto o que seria dessas pessoas que nos valorizam tão pouco, pois um dia passaram pelas mãos de uma professorinha, para serem alfabetizados e estarem onde estão hoje?

    Que País é esse que coloca a Educação, a Segurança e a Saúde em patamares tão baixos?

    Hoje muitas pessoas estão doentes, em função de tanta coisa errada que se vê. E nada se pode fazer…

    Resposta
  • 10 de fevereiro de 2010 em 08:52
    Permalink

    Que blog legal, se mais pessoas pensarem assim, acho que o Brasil teria jeito, não gosto de BBB, atrofia o cérebro, sinceramente, acho que o Bial deve ser bem maior por dentro, mas tá fazendo isso por dinheiro…. como todos aí … uma pena prá juventude de hoje …. um atraso prá evolução … bjs continuem assim

    Resposta
  • 9 de fevereiro de 2010 em 13:31
    Permalink

    Fiquei encantado com a poesia de Antonio Barreto. A educação brasileira anda há quilômetros da realidade. A escola brasileira hoje desinforma os alunos. Infelizmente ainda é necessário frequentá-la para adquirir o tal diploma. O cordel é um grande instrumento para a educação como bem posicionou o próprio Antonio Barreto. O cordel tem tem a criticidade para alertar os futuros cidadãos, exatamente é que falta nas salas de aula. Parabéns Nívea e muitos parabéns para o Antonio Barreto por falar coisas tão corretas para uma platéia entorpecida pelo lixo cultural, alienados pela televisão e a panacéia do cenário político nacional.
    Gosto muito do Cordel, e acompanho os trabalhos dos grandes repentistas nordestinos, a exemplo de Dimas Batista, Zé Ferreira, Zé Pretinho, ceg Aderal e tantos outros do nordeste, especialmente os de São José do Egito em Pernambuco, e agora com um baiano de Santa Bárbara, que faz de suas aulas uma escola informal, mas muito bem posicionada em qualquer assunto atualizado.
    Admiro a agilidade mental desses poetas populares e a fértil inteligência e o dom que Deus lhes deu.
    Muito acertada a inclusão do cordel em suas aulas. Você não é um professor, você é um educador de mão cheia. Duvido que os alunos não gostem de frequentar as suas aulas. É um privilégio que os seus alunos possuem. Parabéns.

    Resposta da Nivia: Encantada fico eu com o seu comentário, Inamar. Obrigada.

    Resposta
  • 8 de fevereiro de 2010 em 21:31
    Permalink

    Alem desse curriculo do cara, o PMM, eu diria que ele é um CRAQUE no jeito de escrever. Uma aula de estilo e redaç~ao. A comrapação do terremoto c/o Antônio Barreto foi 10!
    Quase tão bom quanto vc, Nívea… hehehe…..

    Resposta
  • 8 de fevereiro de 2010 em 19:00
    Permalink

    Cara Nívia.

    Não sou blogueiro, nem twitteiro ou orkuteiro, mas venho frequentando o seu blog recentemente, com retornos frequentes … Alinhado ! Porreta ! Bacana ! Da hora ! …

    Entro hoje aqui porque tambem eu fico arrepiado com os BBB’s, os Fazendas “X” (e quem sabe ainda não virão outros tantos exemplares similares por aí…) e fico saudoso daquele tempo em que se tinha um Stanislaw Ponte Preta na mídia (=”imprensa”, naquele tempo bom) para detonar os FEBEAPÀS = Festivais de Besteiras que Assolam o País.

    São bons mesmo é para competir com os programas políticos que começam já a assolar nossas TV’s… Afinal, asneira por asneira ……

    Assino embaixo da opinião do “Mauricio” (05/02/10) e, quanto à cachaça “Arací”, degustador e apreciador que sou da boa pinga, de qualidade, prometo prová-la tambem.
    Grande abraço.

    Resposta da Nivia: Grata, Marquinho, abraço procê tamém. Promessa é dívida…

    Resposta
  • 7 de fevereiro de 2010 em 14:33
    Permalink

    Parabéns Nívia pelo seu blog cujo conteudo que pude conferir valeu a pena eu ter tirado meu tempo… Gostei muito dos seus comentários sobre Antonio Barreto. Ele de fato é competente!!!!! Ótimo… Excelente a crítica feita ao nojo de programa Big Broder. nunca aprovei desde que surgiu, e a cada nova fase destesto ainda mais. Não paro para ver e fico triste em saber que há pessoas que param diariamente para se encherem de lixo do mais empobrecedor já visto.
    Nívia continue enriquecendo seu blog com conteúdos que enobrecem os que a visitam.

    Resposta
  • 6 de fevereiro de 2010 em 23:25
    Permalink

    Linda análise. Toda style. Tremi com esse terremoto mas adorei!

    Resposta
  • 6 de fevereiro de 2010 em 23:20
    Permalink

    Amigos, como o Bial parece que perdeu a linha, o carretel e o papagaio, e rasgou sua biografia por dim-dim. Nossa unica defesa contra mais esse lixo da Globo, graças à Deus é a Internet.
    Podemos acabar com essa porcaria boicotando a compra de todos os produtos dos anunciantes que fomentam essa porcaria.
    Quero ver se alguma empresa lúcida, depois de uma onda de boicote geral, se arrisca investir na compra de espaços deste tipo de lixo…

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2010 em 18:57
    Permalink

    Olá Nivia,

    Gostei muito dos seus comentários sobre Antonio Barreto.
    Venho sugerir que vc e sua comunidade incentivem esses grandes poetas a orientar o povo a votar (independente de partido), nos candidatos com melhor projeto, e a evitar cair nas armadilhas desses politicos profissionais, corruptos e que só visam o próprio interesse.

    Atenc.

    Roberto

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2010 em 12:13
    Permalink

    Já que o amigo articulista provocou com o ALAGÃO…

    1. Se a São Silvestre fosse em janeiro, o Cesar Cielo ia arrebentar!

    2. Depois do Airbag, os coletes salva vidas são os opcionais mais importantes nos carros de Sao Paulo.

    3. O melhor serviço de entrega em SP é do Submarino.

    4. Ninguém passa fome em São Paulo: “bolinho de chuva” é o que não falta…

    5. Quem acha que a água do mundo está acabando não mora em SP.

    6. Bob Esponja pra Lula Molusco: “Bora pra Sao Paulo!! Dá atè pra gente ir no Shopping!

    7. Moisés, precisamos de você para abrir caminho em Sampa!!!

    8. O passeio ciclístico de hoje foi feito de pedalinho

    9. Agora SP inteira tem casa com vista para o mar.

    10. Tá chovendo tanto em Sampa que esperei o Pica-Pau para descer a Rebouças de barril!

    11. Fagner para José Serra: “Quem dera ser um peixe… para em teu límpido aquário mergulhar…

    12. O Aquassab tá trocando o bilhete Único pelo bilhete Úmido!

    13. Chove tanto em São Paulo que o Serra está lançando o Balsa-Familia…

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2010 em 10:46
    Permalink

    Antônio Barreto………….. poucos dos que conheço tem o saco tão roxo como o teu…………

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2010 em 08:47
    Permalink

    Uau! Devastadora é essa analise tambem, Nivea. Muito bem sacada, mostra a força dessa arma poderosa que está transformando o mundo. Com mais inclusao digital no Brasil vai ser um arraso só. Mais ainda tem gente que subestima. Porem quanto mais BBB for ao ar, mais gente vai se exilar de mala e cuia na internet. E novos “terremotos” como o ABarreto vão surgir para abalar ainda mais as estruturas carcomidas. Parabens a vocês.
    Japinha-GO

    Resposta
  • 5 de fevereiro de 2010 em 08:20
    Permalink

    Olá, Nívia!
    Não nos conhecemos e confesso que sou um pouco resistente a estas “mudernagens” [como diria Elomar] de blogs mas acho que dedicarei algum tempo a passear pelo seu.
    Parabéns! Seu blog está muito bem cuidado e com um conteúdo que, até onde vi, figuraria também no meu blog se minha “religião” me permitisse manter tal coisa rs.
    Um grande abraço e mais uma vez parabéns pelo blog.

    Maurício

    ps 1- Sem Orkut, Facebook, Twitter ou televisão [e nestes tempos de BBB vejo o quanto esta última opção – ou “desopção” rsrs – foi acertada] apesar de trabalhar com TI.

    ps 2- Ah, quase esqueço, sua cachaça não é ruim, viu! Faz algum tempo que não a bebo mas tenho algumas boas lembranças associadas a ela.

    Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: