O charme dos relógios de mesa com a estrutura de cimento rachada

FRATURA NO CONCRETO ARMADO É DESIGN

Relógios de cimento quebrado

A graça, o charme destes relógios de mesa consiste exatamente na “imperfeição” provocada por suas rachaduras. Sem elas, seriam apenas carcaças de cimento banais, medíocres, e não autêntico Design.

Como os estonianos que criaram as peças estão tecnicamente impedidos de cobrar royalties por sucata de demolição – e como também somos adeptos do remix –, vamos desvendar o mistério da fabricação.

Relógio de cimento quebrado

Tudo começa com o molde retangular de madeira – compensado para tapumes ou MDF tipo OSB para criar texturas irregulares na superfície – onde será despejada a massa. Gesso pedra também funciona.

O miolo deve conter uma estrutura de vergalhões – daí concreto armado – para dar resistência à mistura do cimento com os demais agregados (areia, brita etc). E, claro, um nicho para a máquina do relógio.

Relógio de cimento quebrado

Depois de seco, e após o desmolde da forma, o momento crucial de quebrar o bloco. Obviamente, uma cacetada aleatória não vai criar o efeito desejado. O mais provável é que destrua totalmente a peça.

O recomendável é um golpe seco, controlado, no meio do tijoço, com o auxílio de uma talhadeira para direcionar a primeira fratura e preservar o nicho superior. Depois vêm as demais, na metade de baixo.

Relógio de cimento quebrado

Finalmente, o acabamento e a montagem. O conjunto pode ser mantido com o aspecto de cimento cru ou receber vários tipos de pinturas, com colorações para harmonizar com os demais objetos no entorno.

Quem quiser extravasar seus instintos pichadores tem o recurso do aerógrafo para rabiscar símbolos e slogans — ou customizar com mini graffiti e estêncils. Aí é só encaixar a máquina e os ponteiros. Pronto!

Relógio de cimento quebrado

Clique nas imagens para ampliar

Um comentário em “O charme dos relógios de mesa com a estrutura de cimento rachada

Deixe um comentário interessante neste artigo: