Novo capacete Skully para motos equipado com câmera retrovisora

OS 360 GRAUS DE VISÃO SEM PONTOS CEGOS

A tendência atual dos capacetes para motociclistas é trazer embutidas novas tecnologias de realidade aumentada, como horário, temperatura, chamadas e controle de voz, localização por GPS, entre outras.

Mas o Skully tem algo que o diferencia da concorrência: uma câmera retrovisora que funciona como um espelho com alcance de 180° para trás. Isto, em teoria, bastaria para eliminar todos os pontos cegos.

Display de realidade aumentada

Para fornecer todas essas funcionalidades, o capacete traz um hardware no topo, que abriga avançados sistemas de GPS, Bluetooth, acelerômetro, giroscópio, bússola e, claro, uma bateria recarregável.

A conexão de dados ocorre por intermédio de um smartphone, que também repassa ao piloto as atualizações de tráfego em tempo real, via WiFi. O conjunto de recursos será expandido a longo prazo.

Display de realidade aumentada

O visor, do tipo Google Glass, é montado por trás da viseira, no canto inferior direito. Esta posição permite ao motociclista observar confortavelmente, sem se distrair, tudo o que acontece ao seu redor.

O plano dos desenvolvedores é que o acessório de segurança já esteja disponível para comercialização a partir de março do próximo ano, nas cores preto fosco e branco brilhante, por cerca de R$ 2.200.

Display de realidade aumentada

Lembrando: apenas no primeiro semestre deste ano, ocorreram no País quase 300 mil acidentes com motos. O crescimento é de 38% sobre 2012 e de 81% sobre os dos primeiros seis meses de 2011.

As indenizações por invalidez permanente, dobraram em dois anos. As motocicletas respondem por 70% do total de indenizações pagas nas três modalidades (morte, invalidez e despesas médicas).

Display de realidade aumentada

Mais fotos no Engadget

2 comentários em “Novo capacete Skully para motos equipado com câmera retrovisora

  • 26 de fevereiro de 2015 em 19:24
    Permalink

    Essa câmera armazena as imagens ou não?

    Resposta
    • 26 de fevereiro de 2015 em 21:08
      Permalink

      Não sei te responder, Silomar. O ideal é que você pergunte diretamente ao pessoal da Skully, através dos endereços de email no link abaixo. Esse pessoal costuma ser muito atencioso, mesmo quando se usa texto de tradutor automático, se for este o caso. Vale a pena tentar. Boa sorte.

      http://www.skully.com/contact-us

      Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: