Novo canhão de micro-ondas vai parar carros na pista à distância

A ARMA PORTÁTIL DA POLÍCIA RODOVIÁRIA

Canhão de micro-ondas

Sabe aquelas perseguições rodoviárias, com a polícia correndo atrás de fugitivos, que os canais sensacionalistas de televisão costumam transmitir do helicóptero?

Em breve, essas cenas de gato e rato vão ficar restritas ao cinema. Será tudo mais simples: os agentes da lei vão usar novas armas para “matar” o carro rapidinho, não o motorista.

Ao simples aperto de um botão, aparelhos vão disparar rajadas de micro-ondas, travando todo o controle eletrônico do veículo e imobilizando o suspeito à distância.

Esses equipamentos, que usam ondas eletromagnéticas de alta potência para atrapalhar o funcionamento dos computadores dos carros mais modernos, já estão na fase final de testes.

A pedido da polícia da França, Espanha e Alemanha, um consórcio financiado pela Comissão Europeia está desenvolvendo um complexo dispositivo com essa capacidade.

O projeto europeu SAVELEC (Controle seguro de veículos não-cooperativos através de meios eletromagnéticos) recebeu recursos da ordem de 4,3 milhões de euros.

CARDÁPIO SEM FRITURA

Engenheiros da agência aeroespacial alemã se debruçaram sobre a CPU dos automóveis para identificar vulnerabilidades nos microchips que possam ser exploradas através de sinais de rádio.

Uma fabricante de mísseis francesa, está fazendo simulações com grupos de motoristas voluntários para avaliar como eles reagem quando os carros simplesmente “morrem” em alta velocidade.

Os aparelhos não pretendem fritar a eletrônica do veículo – como as armas militares de pulsos eletromagnéticos fazem – mas apenas desativá-la temporariamente e permitir a abordagem policial.

A ideia é desorientar a parte eletrônica para imobilizar o carro, sem quebrá-lo ou deixá-lo travado na rodovia, além de não ferir os ocupantes, pedestres próximos ou a própria polícia com o feixe.

Detalhes técnicos não serão informados, a fim de evitar que pessoas desenvolvam contramedidas à tecnologia – ou construam a sua própria versão do aparelho e “congelem” as viaturas da polícia.

De qualquer forma, quando o protótipo ficar pronto em 2016, os radares que fotografam placas de veículos em excesso de velocidade serão o aspecto mais brando da moderna fiscalização policial.

Deixe um comentário simpático neste artigo: