Nosso cérebro começa a ‘ratear’ quando ainda se é quarentão

Cérebro - velhice

REFAZENDO AS CONTAS

A Cachaça da Happy Hour

O nosso poder de raciocínio e compreensão — ou capacidades cognitivas, para se usar os termos corretos — começa a declinar muito antes do que se imaginava, em proporção parecida com pessoas dos sexos masculino e feminino.

Na verdade, esta queda de “rendimento” do cérebro se acelera a partir dos 45 anos de idade e não próximo dos 60 anos, como se acreditava de maneira geral, segundo um estudo do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica (INSERM), da França, e da University College de Londres.

Foi o que revelou uma série de testes de memória, vocabulário, raciocínio e expressão oral realizados com 5.198 homens e 2.192 mulheres de 45 a 70 anos, dentro de um estudo mais amplo, denominado “coorte Whitehall II”, baseado em 10 anos de acompanhamento médico e em exames individuais.

“Os resultados mostram que o rendimento cognitivo (com exceção dos testes de vocabulário) diminui com a idade e isto cada vez mais rapidamente na medida que as pessoas envelhecem”, destaca o INSERM.

Em 10 anos, o rendimento de raciocínio caiu 3,6% para os homens de 45 a 49 anos, e 9,6% para os de 65 a 70 anos.

No caso das mulheres, a queda é a mesma (-3,6%) para o primeiro grupo etário e menos considerável (-7,4%) para as mulheres de 65 a 70 anos.

Para Archana Singh-Manoux, que coordenou a equipe do INSERM, “é importante determinar a idade de início do declínio cognitivo, já que possivelmente é mais eficaz atuar desde o começo, em particular com medicamentos, para mudar a trajetória do envelhecimento cognitivo”.

Apesar de estar claro que o rendimento cognitivo diminui com a idade, a data de início da queda ainda gera bastante controvérsia. Estudos recentes descartaram que o fenômeno pudesse começar antes dos 60 anos, segundo o INSERM.

No JB Ciência

Deixe um comentário simpático neste artigo: