Noites de angústia com perigos que rondam os entes queridos



Tempos difíceis, de medo e esperança, nessas noites chuvosas da Zona da Mata mineira.

Silêncio absoluto, o telefone que não toca com notícias da Região Serrana fluminense…

ME CHAMA
(acústico)

Autor e intérprete: Lobão

Chove lá fora e aqui, faz tanto frio
Me dá vontade de saber

Aonde está você, me telefona
Me chama, me chama, me chama!

Nem sempre se vê
Lágrimas no escuro, lágrimas no escuro
Lágrimas, cadê você…

Tá tudo cinza sem você
Tá tão vazio
E a noite fica sem porque

Aonde está você, me telefona
Me chama, me chama, me chama

Nem sempre se vê
Mágicas no absurdo, mágicas no absurdo…

Deixe um comentário simpático neste artigo: