Mulheres preferem abstinência sexual em troca de corpo magrela

Troca de sexo por magreza

SE A MODA PEGA, OS HOMENS ACABAM FICANDO NA MÃO…

Uma pesquisa realizada pela revista “Fitness” levantou que as mulheres norte-americanas, se fosse necessário, sacrificariam um ano inteirinho de sexo em troca de um corpo mais magro.

O resultado da enquete ouviu 2.400 mulheres e 51% delas não tiveram dúvidas, respondendo SIM sem piscar — a maioria, portanto.

A conclusão do estudo focado nas dietas e hábitos alimentares das mulheres reforça a ideia de que algumas sentem muita pressão sobre sua aparência física, segundo os especialistas.

Para 22% das entrevistadas, a pior parte de uma dieta é seguir um plano para perder os quilos extras. Cerca de 43% delas disseram que evitam comer e 39% informaram que já tomaram remédio para emagrecer.

Em relação a restrições alimentares, 40% contaram que fizeram seu primeiro regime para perder peso antes de finalizar o ensino fundamental — entre os 11 e os 14 anos.

Por outro lado, a compulsão alimentar deixa 40% das mulheres satisfeitas, enquanto 26% delas sentem-se culpadas e 17% deprimidas. Apenas 7% disseram que nunca se permitiram comer junk food e 71% que preferem praticar exercícios todos os dias para poder comer o que quiserem.

A psicóloga e professora da Escola de Pós-Graduação em Psicologia Ferkauf, em Nova York, disse no programa “The Early Show on Saturday Morning”, da CBS, que a pesquisa escancara a pressão a que são submetidas as mulheres.

“Nós somos bombardeadas com imagens de como deveria ser nossa aparência, como deveríamos ser magras, altas e o que deveríamos vestir.”

A psicóloga observou que a mídia tem grande responsabilidade em transmitir a mensagem da necessidade de ser magra, que leva à crescente procura por dietas cada vez mais cedo pelas garotas, o que considera “preocupante”.

Visto aqui

Deixe um comentário simpático neste artigo: