Morre de câncer o menino da campanha ‘Ajude Harry a Ajudar os Outros’


Menino da campanha das pulseiras morre de câncer

MENINO DE OURO

Do blog ECOnsciência

O menino inglês Harry Moseley ficou mundialmente conhecido depois que começou a vender pulseiras que ele mesmo fazia em uma campanha chamada Ajude Harry a Ajudar Outros.

Após arrecadar o equivalente a 1 milhão 500 mil reais para caridade, junto à ONG Cancer Research UK, Harry perdeu uma luta de quatro anos contra um tumor no cérebro.

Por causa do trabalho de caridade o garoto de 11 anos, que enfrentava sessões de quimioterapia e radioterapia, ganhou o título de “Criança Mais Generosa da Grã-Bretanha”.

Ele conquistou fãs famosos, como os astros de futebol Lineken, Terry, Lampard e Ferdinand, o primeiro-ministro David Cameron, que foi visto usando uma de suas pulseiras, além de apresentadores de TV e empresários.

TWITTER

Harry estava em coma desde agosto, depois que seu tumor cresceu 50% e ele teve de passar por uma cirurgia.

No domingo, a mãe de Harry, Georgina Moseley, anunciou a morte no Twitter @harry_moseley. “Meu menino corajoso e inspirador adormeceu nos meus braços às 23h10. De repente, nosso mundo virou um lugar muito escuro e cruel.”

PULSEIRAS

A página de Harry no Twitter foi inundada de homenagens ao menino. Richard Taylor, diretor-executivo de arrecadação e marketing da instituição Cancer Research UK, disse: “estamos extremamente entristecidos em ouvir que o extraordinariamente corajoso Harry Moseley tragicamente perdeu sua batalha contra o câncer no cérebro com apenas 11 anos de idade”.

“Harry era um menino especial – mesmo quando enfrentava uma doença fatal, ele manteve sua personalidade audaciosa e sua vontade de ajudar os outros”, disse Taylor. “Era o desejo de Harry que toda a Grã-Bretanha usasse uma de suas pulseiras com orgulho. Ele tocou os corações de todos que ele encontrou e a diferença que ele fez em sua curta vida é impressionante”, concluiu.

O site oficial do Harry fica neste endereço: http://www.helpharryhelpothers.com/

Fonte

* * *

Blog ECOnsciência Inovadora


Deixe um comentário simpático neste artigo: