Misturar religião e política revela atraso da nossa sociedade

Radicalismo político e religioso

Caso de psicanálise: campanha eleitoral assumiu tom fascistoide


“Esta eleição está sendo marcada pela discussão de temas no campo da moral: aborto, religião. Isso mostra o atraso da sociedade brasileira. E a ignorância é apoiada pelo Serra de misturar questões religiosas com questões políticas.

Como é que as igrejas começam a pautar a lei agora? Uma coisa é eles decidirem o que é pecado e o que não é, outra coisa é eles decidirem o que é ilegal e o que não é. Acaba virando motivo de constrangimento.

A campanha do PSDB tem responsabilidades, sim, de acirrar a intolerância religiosa neste momento da campanha.”

Maria Rita Kehl, psicanalista que mantinha coluna no jornal Estadão, para a CartaCapital.

Deixe um comentário interessante neste artigo: