Mel dos Elfos, o mais caro do mundo, custa R$ 16 mil o pote de 1 kg

TESOURO DOURADO ACHADO EM CAVERNA

Mel dos Elfos

Siga este conselho: se um dia você estiver andando pelo mato e avistar abelhas entrando em alguma caverna, arrisque o couro e siga o seu rastro – um tesouro dourado pode estar dando sopa no mel.

Foi  a sorte grande que deu o apicultor turco Gunay Gunduz ao se embrenhar atrás dos insetos numa gruta com 1 mil 800 metros de profundidade no vale Saricayir, na cidade de Artvin, nordeste da Turquia.

Das entranhas da terra ele começou a retirar o que viria a ser chamado de mel élfico, oficialmente reconhecido como o “mais caro do mundo”. E de fato é: um pote com 1 kg do produto custa R$ 16 mil!

Mas, afinal, o que de tão especial pode ter um tipo de mel para custar tamanha fortuna? De acordo com o apicultor, pelo simples e prosaico motivo de ser produzido de forma absolutamente natural.

Bem, além disso há um outro fator: as paredes esféricas do fundo da caverna, rebocadas pelas colmeias, são riquíssimas em substâncias minerais que melhoram incrivelmente o sabor do mel.

Gunay Gunduz

O primeiro quilo do mel, com 7 anos de idade, foi vendido na bolsa francesa por um valor absurdo, equivalente a R$ 146 mil. Um ano depois a cotação caiu mas os chineses chegaram a pagar R$ 91 mil.

Atualmente, o valor estabilizou mas ainda não é nada barato e acessível para pouquíssimas pessoas.

Gunduz afirma que o mel pode ser usado na medicina ou na alimentação: “O mel é produzido de uma forma natural e sem causar urticária, já que a área é rica em plantas endêmicas e medicinais”.

O mel turco é conhecido por ser considerado o melhor do mundo, mas as produções artificiais estão fazendo os preços caírem, podendo se encontrar frascos em feiras do país por menos de R$ 48.

Com Jornal Ciência

Deixe um comentário simpático neste artigo: