Macacas gritam de prazer durante o sexo para subir na vida

Macacos transando

GEMEÇÃO COM ESTARDALHAÇO

Do blog BananaPost

Sabe-se muito bem que essas malandragens costumam ocorrer com frequência entre humanos, mas como os bichos modernos evoluem muito rapidamente, já estão até aprendendo a soltar as macacas

É que se descobriu agora que há chimpanzés fêmeas exagerando no prazer sexual, gritando muito, para subir na vida e na hierarquia social do grupo, onde as macacas são as mais importantes.

Um estudo de cientistas americanos indica que as fêmeas da espécie de chimpanzé bonobo (pan paniscus) ampliam propositalmente as manifestações do prazer que têm nas relações sexuais com indivíduos do mesmo sexo quando isso lhes é conveniente do ponto de vista da hieraquia social.

Os investigadores descobriram que as fêmeas deste animal, também conhecido por chimpanzé-pigmeu, fazem mais barulho durante o sexo quando uma fêmea alfa está por perto, algo que os especialistas consideram estar relacionado com a procura e obtenção de status social, ou seja, subir na vida.

A equipe descobriu que as fêmeas consideradas menos importantes no seio do grupo eram, precisamente, as que faziam mais barulho, gritando, durante o ato sexual especialmente quando o mesmo era praticado com outras mais importantes na hierarquia.

Ao contrário de outros tipos de chimpanzés, a sociedade dos bonobos não é dominada pelos machos. Esta espécie é considerada muito erótica e “promíscua” pelos cientistas, já que existe prática muito frequente de relações sexuais – tanto hetero como homossexuais.

GORILAS X HUMANOS

E não é só nisso que os macacos lembram os humanos não.

Os gorilas, por exemplo, estão mais próximos dos humanos do que os cientistas julgavam, depois de ter sido decifrado o genoma do primata, divulgou a revista científica britânica Nature.

Uma equipe internacional de biólogos, do Instituto Wellcome Trust Sanger, no Reino Unido, descobriu que os gorilas partilham com os humanos numerosas modificações genéticas paralelas, em particular a evolução do ouvido.

Os cientistas sustentam que os genes da audição evoluíram nos gorilas a uma velocidade quase equivalente à dos humanos.

Graças ao DNA de ‘Kamilah’, uma gorila fêmea, os investigadores reuniram a sequência genética da espécie e compararam-na com os genomas do chimpanzé e do ser humano.

Segundo as conclusões a que chegaram, 15% do genoma humano está mais próximo do gorila do que do chimpanzé. Por sua vez, 15% do genoma do chimpanzé está mais perto do gorila do que do Homem.

Com foto da galeria de Evan Hambrick no Flickr (clique para ampliar)

Deixe um comentário interessante neste artigo: