Levitação tridimensional de corpos físicos por ondas de ultrassom

ONDAS SONORAS LEVANTAM COISAS NO AR

Se aprender a voar, mesmo com o uso de aparelhos, foi uma das maiores conquistas humanas, melhor ainda será o dia em que formos capazes de levitar, ou melhor, mover pessoas e objetos sem esforço.

Este é o fim último de todas as experiências científicas de levitação, agora já capazes de suspender, por meio de várias técnicas, desde fragmentos inanimados até pequenos animais, como insetos e peixes.

Levitação Tridimensional

A mais recente novidade nesta área foi a façanha de cientistas japoneses que moveram objetos em um espaço tridimensional através de um complexo sistema de levitação acústica, superando esforços de pesquisas anteriores que levantaram os objetos em duas dimensões.

Para mover partículas de poliestireno expandido, de 0,6 mm e 2,0 mm de diâmetro, os pesquisadores da Universidade de Tóquio e do Nagoya Institute of Technology, colocaram os objetos dentro de um complexo set-up de quatro conjuntos de alto-falantes.

Usando o aperfeiçoamento da tecnologia existente de gerenciamento de onda sonora, bolhas, um parafuso e a cabeça de palito de fósforo foram movimentados em todas as direções dentro dos confins do experimento.

“A manipulação acústica prolongada em partículas milimétricas levitada, tridimensionalmente, foi gerada por matrizes faseadas de ultrassom através de ondas estacionárias localizadas”, informa o estudo.

O sistema experimental é composto de alto-falantes capazes de geração ondas sonoras de altas frequências inaudíveis que se cruzam no interior de um espaço contido. As ondas, em seguida, geram um “ponto focal móvel de ultrassom”, com um ruído de freqüência maior que 20 kHz, onde o cross-over cria ondas estacionárias.

Levitação Acústica

Algumas ondas foram mantidas em posição constante servindo como uma força de suspensão, enquanto outras ondas foram usadas para apoiar um objeto flutuante imerso em ondas estacionárias.

“Nosso sistema de manipulação tem duas características originais. Uma delas é a direção do feixe de ultrassom arbitrária porque a força que atua no seu núcleo também é utilizada”, explica o estudo.

O outro princípio da manipulação é gerado em uma posição arbitrária e alterada tridimensionalmente por matrizes em fases opostas e ultrassom pelo qual uma onda estacionária é localizada.

A prática de mover objetos pequenos ao longo dos eixos fixos não é nova, tendo sido aplicada apenas a duas dimensões, a partir de 1975.

“A essência da tecnologia da levitação é a compensação da gravidade. Sabe-se que uma onda de ultrassom é capaz de suspender pequenas partículas nos seus nós de pressão sonora “, afirmou Yoichi Ochiai, da Universidade de Tóquio.

Atualmente, os levitadores acústicos são usados ​​principalmente na indústria e pelos pesquisadores de efeitos antigravidade, como a NASA.

Visto na página do nosso amigo Julio Lira, no Facebook

Deixe um comentário simpático neste artigo: