King Kong – um mártir, protetor dos fracos e dos oprimidos

Walpaper do gorila King Kong

King Kong é um filme de 1933 que se transformou em um dos marcos da história do cinema, dada a criatividade, ousadia e qualidade dos seus efeitos especiais e sonoros para os padrões da época. Até hoje considerado “o maior filme de monstros” de todos os tempos, pela primeira vez contrapôs a “estupidez” humana frente à “inocência” do mundo animal.

A trágica história do imenso gorila com mais de 8 metros de altura – que se apaixona por uma mulher e se vê cercado por aviões no alto de um prédio em Nova York até despencar para a morte – é uma figura tão forte e impregnou de tal forma o imaginário popular a ponto de muitas pessoas que nunca viram o filme jurarem de pés juntos que o assistiram.

A última versão foi rodada em 2005 por Peter Jackson, o mesmo de O Senhor dos Anéis.

Deixe um comentário interessante neste artigo: