Justiça britânica colabora com os grandes piratas culturais

Obama - Pirata

JUÍZES NO BOLSO DOS VERDADEIROS PIRATAS

O Chefe de Redação

Enquanto a indústria cultural se apropria das produções coletivas para faturar bilhões e bilhões de dólares por ano, um moleque inglês pode pegar 10 anos de cana nos EUA.

Seu crime: faturar durante um ano R$ 40 mil mensais com publicidade num site com links para download de conteúdos protegidos pelas famigeradas leis de direitos autorais.

Richard O’Dwyer, criador do TVShack, será mesmo extraditado para os EUA – país no qual será julgado por promover a pirataria.

O site consistia em um repositório com links para o download de vídeos de programas de TV e filmes protegidos por direitos autorais.

O juiz Quentin Purdy cedeu à pressão do poder econômico, negando os pedidos dos advogados do rapaz e decretou a extradição na última sexta-feira (13 de janeiro).

A defesa de Richard O’Dwyer alega que os atos do rapaz não são crimes na Grã-Bretanha e que ele não receberia o tratamento adequado na terra do Tio Sam.

Por sua vez, como era de se esperar, Julia O’Dwyer, mãe do jovem, se diz decepcionada com a decisão da corte inglesa.

Em tempo: para os padrões europeus ou norte-americanos é uma ninharia um site de grande visitação faturar em média £ 15 mil (R$ 40 mil) por mês vendendo espaços publicitários pelo período de um ano.

Com TecMundo

Deixe um comentário simpático neste artigo: