José Serra faz jogo de cena em ação contra A Privataria Tucana

Livro A Privataria Tucana do PSDB

O TIRO PELA CULATRA DE SERRA

O Chefe de Redação

Não passa de jogo de cena a ação de José Serra contra o repórter investigativo Amaury Ribeiro Jr., na opinião do próprio autor do livro-denúncia A Privataria Tucana.

A inicial, do advogado, apresenta três documentos em favor de Serra, atual candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo. E os três são risíveis, na opinião de Amaury.

O primeiro, um artigo de Merval Pereira, o “imortal” de O Globo. O segundo, uma matéria da Folha, com informações falsas, dizendo que Amaury tinha confessado a quebra do sigilo de Serra. O terceiro, um outro artigo da Folha, sem assinatura, dizendo não haver provas que sustentassem o livro.

O ponto central da defesa de Serra é em relação a uma acusação que não consta do livro: a de que ele, Serra, teria recebido propina.

Amaury afirma que o tesoureiro de Serra, Ricardo Sérgio, e a filha, Verônica Serra, foram beneficiados por aportes do banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity. Mas nada diz sobre Serra ter recebido diretamente propinas.

Amaury pretende transformar sua defesa em base para um próximo livro.

Já convocou quinze testemunhas, entre membros do Ministério Público, Polícia Federal e da magistratura, que consideraram o livro um marco na luta contra o caixa dois e o uso de paraísos fiscais para esquentamento de dinheiro.

* Luis Nassif Online

Deixe um comentário simpático neste artigo: