Internauta brasileiro curte muito Facebook e Twitter mas…

EMPRESÁRIO TEME E FOGE DE REDE SOCIAL

Brasileiro adora Facebook

O Brasil foi chamado de a “capital da mídia social do Universo” em recente reportagem do Wall Street Journal, de Nova York.

Afinal, segundo o site Socialbakers, os brasileiros só perdem para os norte-americanos em número de usuários do Facebook.

A empresa de pesquisa ComScore mostra o Brasil um pouquinho mais adiante, em terceiro, depois dos EUA e da populosa Índia.

O que importa, apesar das variações na metodologia, é que ambas as consultorias confirmam a importância do País, pelo menos em audiência, para a maior rede social do mundo.

A reportagem do WSJ também aponta o Brasil como o maior mercado para o YouTube, fora dos EUA, e um dos cinco maiores faturamentos do site de vídeos.

Para a rede de microblogs Twitter, o Brasil aparece entre os cinco principais mercados, em número de usuários ativos.

Bom, mas e daí? Daí que as empresas tupiniquins ainda não abriram os olhos para enxergar o potencial comercial das redes sociais. Quem não vê, não compreende.

Segundo levantamento da consultoria Maksen, 40% dos executivos do país acham que ter presença no Twitter ou Facebook não traz nenhum benefício para seu negócio.

Para esses executivos “o investimento não compensa os riscos (???) da companhia estar presente nas redes sociais”.

A Maksen analisa que o principal problema, além do medo, é o uso incorreto das redes sociais pela maior parte das companhias.

42% das empresas mantêm páginas “estáticas”, que não interagem com os clientes, enquanto outras 11% não atualizam com frequência as informações de suas páginas.

Conservadores, medrosos e míopes quanto aos novos tempos, preferem continuar anunciando em jornais, revistas e redes de TV decadentes. Dá menos trabalho… e mais prejuízo.

Deixe um comentário simpático neste artigo: