Hormônio para disfunção sexual feminina inibe infidelidade masculina

Homens Infiéis e Traidores

OXITOCINA NELES!


A Cachaça da Happy Hour

Até agora o hormônio oxitocina era quase um privilégio da especialidade médica ortomolecular no tratamento das disfunções sexuais femininas.

Só que esta exclusividade, como eu já demonstrei aqui, acaba de cair por terra: o “hormônio do amor” também passou a ser conhecido como o “hormônio da confiança”.

E por um motivo muito simples: quando inalado por homens casados — e mais atiradinhos –, a vontade de “pular a cerca”, ó, pfff… desaparece.

É verdade, a ponto de muito maridos chegarem a ficar incomodados com a presença muito próxima de uma mulher atraente. Mas o que se sabia da oxitocina até agora?

O Dr. Thiago Ferreira Lima explica, no site da Clínica Visia, que a oxitocina é um hormônio que atua principalmente como neurotransmissor no cérebro.

Ele é mais prevalente em mulheres grávidas e lactantes e é o hormônio que provoca a lactação e as contrações uterinas.

Fora do período da gestação, durante e após a gravidez, antes e imediatamente após o orgasmo, a produção de oxitocina no cérebro feminino está em seu nível máximo.

A oxitocina contribui para a sensação de contentamento, a redução da ansiedade e o aumento dos sentimentos de calma e segurança ao redor de um companheiro.

Como a maioria dos nossos hormônios benéficos, o corpo humano produz cada vez menos oxitocina à medida que envelhecemos.

Estrutura química hormônio

A disfunção sexual feminina muitas vezes é deixada sem tratamento, uma vez que não se manifesta de uma forma óbvia, como a incapacidade de produzir uma ereção no caso dos homens.

As mulheres podem sentir uma falta de intimidade com o parceiro ficando assim cada vez mais difícil chegar ao clímax.

Em muitos casos isto não é um produto de uma relação “obsoleta“, mas sim o resultado de um desequilíbrio hormonal facilmente tratável.

Muitos estudos já demonstraram uma correlação de oxitocina com vínculo humano, o aumento da confiança, e a diminuição do medo.

Para que uma mulher possa atingir o orgasmo completo, é necessário que as regiões do cérebro associadas ao medo e ansiedade sejam desativadas.

A oxitocina permite que os indivíduos deixem de ter medo e ansiedade durante a excitação sexual, assim como em alguns casos pode ser impossível alcançar o orgasmo sem a terapia de oxitocina.

O apelido “hormônio do amor” surgiu por ser imensamente popular na Europa no tratamento da disfunção sexual feminina.

Atualmente a terapia com oxitocina é a melhor opção para as mulheres que sofrem de envelhecimento, baixa libido e dificuldade em atingir o orgasmo.

Um comentário em “Hormônio para disfunção sexual feminina inibe infidelidade masculina

  • 7 de agosto de 2016 em 17:39
    Permalink

    […] A ocitocina é um MEDICAMENTO, e antes disso um HORMÔNIO cujo desequilíbrio é perigoso para saúde sujeito a fatores alérgicos individuais, e cujas contraindicações passíveis, podem MATAR a mulher por inúmeras causas sendo as mais conhecidas,por exemplo aquelas ligadas à retenção aguda de líquidos, às quedas bruscas de pressão arterial,e à aceleração de contrações com rompimento do útero etc etc etc […]

    Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: