Hey Hey, My My! Fica frio porque o rock não vai morrer

BATTLEME NUM CLÁSSICO DE NEIL YOUNG


Esse tipo de vaticínio furado retorna de tempos em tempos — veja a matéria abaixo — sempre que surgem novas ondas e modismos musicais. E o rock aí, por quase 60 anos onipresente, com uma capacidade que nenhum outro gênero tem de se reinventar.

Uma das melhores provas é essa releitura da banda Battleme de um clássico, espécie de hino, em que Neil Young repete no refrão que o rock’n roll não pode nunca morrer. Pode até sair meio machucado, sim, de suas intensas batalhas, mas vai continuar sempre a nos encantar!

Rock'n'Roll Can Never Die

Rock quase some da lista dos Grammys, fãs preferem pop

Banda Arcade Fire é única representante do estilo a concorrer a álbum do ano

O rapper Eminem, que recebeu alta de clínica de reabilitação, deve fazer seu retorno no domingo com uma série de prêmios Grammy na cerimônia dominada por astros de hip-hop e pop.

Mas agora, pode ser a vez do rock ‘n’ roll buscar tratamento. A banda de rock canadense Arcade Fire é a única concorrente de rock a “álbum do ano”, o principal prêmio da noite.

Nenhum grupo de rock foi indicado nas categorias de melhor música ou disco do ano. Na competição de melhor artista estarão dois grupos britânicos com elementos de rock: Mumford & Sons, and Florence + the Machine.

Os organizadores do Grammy homenageiam os roqueiros em categorias específicas e artistas como o guitarrista britânico veterano Jeff Beck e a dupla de blues-rock Black Keys receberam algumas nomeações.

Mas a premiação é liderado por Eminem, que recebeu 10 indicações, principalmente por seu álbum que fala sobre sua recuperação de vício quase fatal em medicamentos controlados.

Entre os outros artistas que receberam diversas indicações estão o astro do pop/R&B Bruno Mars com sete; o rapper Jay-X, a cantora de pop Lady Gaga, e o grupo de country Lady Antebellum com seis indicações cada. Beck recebeu cinco nomeações e Black Keys quatro.

Do Último Segundo

4 comentários em “Hey Hey, My My! Fica frio porque o rock não vai morrer

Deixe um comentário simpático neste artigo: