Golaço do Brasil! É muita notícia boa em tão pouco tempo

Golaço da política internacional de LulaIRÃ: GOL DE PLACA DO BRASIL

Por Flávio Aguiar

Já ninguém acreditava.

Eram 29 minutos da prorrogação. Logo viriam os pênaltis. Todos, é claro, batidos contra o mesmo gol, onde o goleiro Mahmoud ia tentar defender todas, nem que fosse no gogó.

A capitã Hillary Clinton já convocava os batedores: Sarkozy, da França, Cameron, do Reino Unido, Merkel, da Alemanha, e os contrafeitos Putin, da Rússia, e Hu Jin Tao, da China.

Foi quando Lula e Amorim entraram tabelando na área, um lançou para o outro, que deu um chapéu em Hillary, retrucou para o um, que fez uma embaixada e botou na frente do gol: os centroavantes Ahmadinejad e Erdogan conseguiram evitar bater cabeça, e cabecearam juntos para as redes.

Gooooooool do Brasil!!!!

PS: A jogada deixou tiririca a galera do contra que, dos camarotes da mídia conservadora, jurava que não ia dar certo e só falava em gafes do time brasileiro.

Veja o jogo completo aqui, no Escrevinhador.

8 comentários em “Golaço do Brasil! É muita notícia boa em tão pouco tempo

  • 18 de maio de 2010 em 11:11
    Permalink

    Os arrogantes (Eua, Rússia, China, Inglaterra, França, etc) EXIGIRAM e não conseguiram nada. O Brasil, conciliador, PEDIU e conseguiu tudo. Simples assim.

    Resposta
  • 18 de maio de 2010 em 07:59
    Permalink

    É gol! É goooooooooooooool do Brasil! Lula! Lula! Lula é o nome dele! Camisa 10 nas costas! Ele é o Cara! O homem gol!
    Enquanto isto do outro lado do campo desolados e tristes estão os adversários Nosferatu Serra, PIG, EUA…………………

    Resposta
  • 18 de maio de 2010 em 01:05
    Permalink

    Vi ainda pouco no Jornal da Globo, com o Waack e aquela peituda: como não tem jeito de esconder, o negócio é distorcer. Pois agora eles deram de dizer que o narigudo iraniano é que é esperto e deu o drible da vaca no Lula. Parecem até o Galvão narrando um jogo que só eles veem.

    Resposta
  • 17 de maio de 2010 em 22:49
    Permalink

    BRASIL-SIL-SIL-SIL !!!
    É isso mesmo, igual na foto do CARA: agora é só correr pro abraço !!!
    BRASIL-SIL-SIL-SIL !!!

    Resposta
  • 17 de maio de 2010 em 22:02
    Permalink

    O Brasil foi o grande mediador, apostou no diálogo, e ganhou. Apostou no bom senso contra a truculência das nações desenvolvidas, as maiores fabricantes de armas, as que incitam guerras, e ganhou novamente. Ave Lula!!!!!!!!!!

    Resposta
  • 17 de maio de 2010 em 21:16
    Permalink

    Foi mesmo Ma. Antonia, na coluna de ontem que deve ter sido escrita sábado e portanto antes da assinatura do acordo o incompetente teve a cara de pau de escrever:
    “Assim como previsivelmente não conseguiu nada no Oriente Médio, a busca de um protagonismo internacional leva o governo brasileiro a assumir uma negociação com o Irã que dificilmente se concretizará, ainda mais na tosca concepção de Lula de que a solução ainda não foi encontrada por que nenhum dirigente internacional sentou-se para negociar com Ahmadinejhad olho no olho”.
    Tosca é a personalidade e o caráter desse bobalhão. Já reparou que ele usa um bigodinho completamente dejà vu e demodé ?

    Resposta
  • 17 de maio de 2010 em 20:34
    Permalink

    Aquele colunista do globo chamado merval pereira do globo passou os últimos dias só falando asneira para “secar” a missão diplomática do Lula.

    Pois bem, dançou feio mas deixou espalhado no ar um odor bem fétido das m… que escreveu.

    Enfim, para desinfetar sugiro (parece até nome de japonês) a leitura do artigo MARAVILHOSO que saiu no Guardian e o LN publicou.

    http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2010/05/17/analise-no-the-guardian-sobre-acordo-brasil-ira-turquia/

    Não percam, pois é emocionante. Foi escrito por gringos mas dá um orgulho danado de ser brasileira. Beijocas. Ma.Antonia

    Resposta
  • 17 de maio de 2010 em 20:10
    Permalink

    A Dilma disse hoje na CBN que o Brasil “marcou um gol no Oriente Médio”. Segundo ela, foi a vitória de uma “política externa de diálogo pró-paz que tenta construir um mundo melhor”. Segundo ela, o acordo valorizou a disposição do governo Lula de “instaurar um outro clima de negociação” e credenciou ainda mais o presidente brasileiro como “líder internacional”.

    Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: