Globo vai demitir 300 jornalistas e funcionários até o fim do ano

Passaralho da Globo

OS DELETÁVEIS

O Chefe de Redação

Encalhe de jornais e revistas nas bancas, queda na audiência de rádios e tevês, fuga de anunciantes para a Internet, tudo isto muito em parte pela perda de credibilidade junto à opinião pública.

É, definitivamente 2011 não está sendo um bom ano para os profissionais da velha mídia — que se consolidou como partido de oposição radical, sempre contra tudo e todos.

Como resultado, depois do portal iG, da MTV e Folha de S.Paulo, agora são as organizações Globo que deram início a cortes que podem atingir até 30% de seu quadro de funcionários. Para se usar um jargão comum das redações, o passaralho está voando rasteiro.

Na última segunda-feira (28), começaram a ser demitidos jornalistas das redações das revistas Época São Paulo, Monet e Globo Rural. E os cortes não estão restritos a jornalistas. Profissionais das áreas Administrativa, Publicidade e de Operações também estão na lista de dispensas.

Só que vai ser uma carnificina. Comenta-se no meio que cerca de 200 pessoas devem ser desligadas nos próximos dias, mas, até o final do ano, esse número pode chegar a nada menos que 300. Ainda não há informações sobre as alegações oficiais para os cortes.

Nas últimas semanas, também vem circulando a informação de que o falido jornal O Estado de S.Paulo planeja uma redução no número de funcionários, que pode chegar a 40 vagas.

Origem

* * *

O Chefe de Redação


Deixe um comentário simpático neste artigo: