Genética explica amizade entre pessoas do mesmo círculo social

PARECIDOS COMO PRIMOS DE QUARTO GRAU

Parecidos como primos de quarto grau

Sabe aqueles casais de amigos que nutrem uma ligação tão forte a ponto de se assemelharem fisicamente, como se fossem parentes? Talvez não seja apenas impressão ou coincidência.

Um estudo publicado na Academia Nacional das Ciências dos EUA demonstra que pessoas pertencentes a um mesmo círculo social se parecem entre si tanto quanto primos de quarto grau.

Por esta tese os indivíduos não escolheriam amizades aleatórias, como mera obra do acaso, mas aquelas que são geneticamente compatíveis.

A pesquisa se fundamenta em uma base de dados do Framingham Heart Study, de Massachusetts, que compreende cerca de 1,5 milhão de marcadores genéticos de pessoas inter-relacionadas.

Concentrando-se em um grupo de 1.932 indivíduos, os investigadores compararam casais de amigos sem vínculos de parentesco com outros casais de pessoas que não se conheciam.

SEMELHANTES SE ATRAEM

Os indivíduos que pertenciam a um mesmo círculo social compartilhavam quase 1% de genes similares, ou seja, muito mais do que o compartilhado por pessoas sem vínculos de amizade.

Esse percentual de similaridade genética “é o mesmo observado entre os primos de quarto grau”, destacou o estudo.

Embora “1% dos genes” pareça pouco, “para os geneticistas, é uma cifra muito importante”, assegurou o co-autor do estudo, Nicholas Christakis, professor de Sociologia, Biologia, Evolução e Medicina da Universidade de Yale.

“De alguma forma, damos um jeito para, entre um sem-fim de possibilidades, escolher como amigas pessoas que se pareçam com os membros da nossa própria família”, disse.

Deixe um comentário simpático neste artigo: