Fuzilamento moral no “paredão” da Globo e Pedro Bial

Quando Pedro Bial popularizou a expressão mandar alguém para o paredão, ele nada mais pretendeu que fazer graça com uma das mais abjetas formas de violência contra um ser humano: a eliminação física pelo fuzilamento.

Sim, com todas as letras, é disso que se trata: fazer piada de mau-gosto com o justiciamento, tripudiar da aniquilação sumária de um indivíduo, normalmente aquele que não se submete às regras e caprichos dos poderosos.

No caso, quem detém este poder, espetacularizado através de mil câmeras? Seria o público, manipulado e sedento de sangue, disposto a gastar míseras moedas em troca desse pequeno prazer? Ou a TV Globo e seu manipulador oficial, ambos ávidos por lucros milionários, nesse caça-níqueis de gozo muito maior?

É contra essa forma sádica de se assistir e produzir televisão que – depois do cordelista baiano Antonio Barreto – se insurge outro artista, desta vez o músico gaúcho Pedro Munhoz, que acaba de fazer um pungente desabafo em forma de carta aberta com duras críticas ao showman do Big Brother Brasil.

CARTA PARA O PEDRO BIAL


Sr. Pedro Bial,

Imagino que minhas palavras jamais chegarão ao seu conhecimento. Mas pouco importa. Escrevo por indignação e não por reconhecimento. Escrevo por ter minha humanidade subestimada pela mediocridade, pela falta total de valores e princípios. Escrevo por entender o quanto sua presença na tela da TV é irrelevante e inoportuna.

O senhor não imagina ou não faz ideia do quanto ridícula é sua figura tentando convencer a audiência da importância que o BBB representa para a vida de todos nós. Na verdade é mais um formato de reality show que foi comprado e colocado goela abaixo de nosso povo. E o pior: o senhor é quem dá o último toque.

É claro que o senhor nada mais é do que um empregado da emissora, fazendo o que lhe é mandado. Mas isto não o exime, tamanho o seu requinte ante as câmeras.

O senhor é deprimente. Repugnante.

Fico pensando em seus anos gastos em escolas, universidades, para depois tornar-se um bufão.

Tem gente que o considera um poeta. E eu pergunto: Como? Quem disse? Quem se animaria a ser poeta onde não há poesia? Que poeta é este que mata a flor e nos condena à mesmice? Creio que bufão lhe cabe melhor.

Sr. Pedro Bial, o senhor conduz um programa que em nada difere das rinhas de galos, cachorros, entre outras espalhadas pelos fundões deste país. O senhor conduz algo mais sórdido: rinha de gente!

É empobrecedor, senhor Bial, para que no final o ganhador saia com uma soma em dinheiro. E diga-se de passagem, não se compara ao montante arrecadado em patrocínios e ligações telefônicas durante três meses de duração do programa.

O senhor não contribui em nada com a sua gente. O senhor entorpece mentes e mente entorpecendo a realidade.

Por fim, gostaria ainda de dizer-lhe que acredito na mudança deste país, acredito em novos valores, acredito que o mundo possa mudar, que possamos almejar algo bem melhor que corpos sarados no horário nobre. O senhor não estará lá, com certeza.

Como o senhor gosta muito de mandar gente para o “paredão” entendo esta palavra e o ato em si como algo determinante e decisivo. Eu gostaria de mandá-lo para o “paredão” no dia do triunfo final, no dia em que o povo ganhar as praças e as ruas, tomar os palácios e assumir as fábricas, ocupar a terra e produzir o pão.

Com certeza, Sr. Pedro Bial, o senhor fará parte da primeira leva, a que irá sumariamente para o “paredão”. Para que assim tenhamos um mundo melhor.

Pedro Munhoz

O violonista, cantor e compositor Pedro Munhoz é natural de Barra do Ribeiro, no Rio Grande do Sul. Tem pelo menos 6 CDs individuais gravados.

Com o violão, espalha seu canto por onde passa. Já atuou no Uruguai, Canadá, Cuba, França, Chile e Itália, entre outros.

Constantemente percorre o país com a mesma missão, levando a reflexão das questões humanas e sociais.

Pesquisador permanente, suas melodias e canções expressam a vivência de suas andanças.

Um trovador por excelência.

Esta CARTA AO PEDRO BIAL foi postada originalmente em seu blog O Cantar de um Trovador.

12 comentários em “Fuzilamento moral no “paredão” da Globo e Pedro Bial

  • 23 de fevereiro de 2010 em 11:19
    Permalink

    kkkk… o forévis aí do andar de baixo acho que kafundiu as coisas ou mesmo fundiu as croquidianas… kkkk. Tá assistindo demais ao BBB, meu.

    Porque esse texto, intitulado Carpe Diem, NÃO É DO NERUDA!

    A autora é Martha Medeiros, escritora gaúcha e colunista do jornal Zero Hora, de Porto Alegre, no qual publicou este “poema” em 2000, tá ligado?

    Enfim, como diz lá adelante a dona Martha, na conclusão, “evitemos a morte em DOSES SUAVES, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar”.

    Tiro na mosca!

    Resposta
  • 22 de fevereiro de 2010 em 23:48
    Permalink

    TEXTO DE PABLO NERUDA

    “Morre lentamente quem não viaja,quem não lê ,quem não ouve musica,quem não encontra graça em si mesmo.
    Morre lentamente quem destroi o seu amor proprio ,quem não se deixa ajudar.
    Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito ,repetindo todos os dias o mesmo trajeto,quem não muda de marca , não se arrisca a vestir uma nova cor , OU NÃO CONVERSA COM QUEM NÂO CONHECE.”

    não leve a vida tão a sério… o bbb só dura 3 meses do ano… e se leva futilidade leva tb distração, humor e entretenimento para o público brasileiro, encare o bbb como uma novela. A vida é tão curta pra se preocupar se o BBB é importante ou não, deixa rolar, deixa a vida correr…

    Resposta
  • 21 de fevereiro de 2010 em 13:41
    Permalink

    Rinha de gente é ótimo, esse tipo de programa como muita coisa que as nossas televisões apresentam só serve para deseducar, alienar, deturpar a realidade, produzir na mente principalmente de crianças e jovens, conceitos errôneos da vida. Liberdade de expressão, hoje está sendo confundida com libertinagem, sacanagem, falta de respeito, uma verdadeira inversão de valores, todos e todas podem tudo e os incomodados (idosos, velhos, professores, doentes, deficientes, feios, os não sarados, os românticos , os sensíveis, os religiosos…) enfim , a experiência foi jogada rio abaixo quem não se encaixa nesse padrão bestial do Bial Global, está por fora. O negócio é ficar, beijar nas bocas, transar com camisinha (como diz a propaganda da televisão, transar por transar,mesmo). Quando meu Deus que isso vai mudar! Tudo isso só gera insatisfação, violência. Falta de ética,falta de Deus, falta de educação de espiritualidade. Quanta gente inteligente, culta com sabedoria , na televisão e na música poderia estar ajudando a transformar o nosso país num lugar melhor, como podem achar que, toda essa porcaria televisiva e certas letras de música possa construir algo de bom para o futuro de nossas crianças e jovens? Nós podemos nos cansar de falar, de gritar, porém jamais se cansar de lutar, jamais se omitir.

    Resposta
  • 20 de fevereiro de 2010 em 22:44
    Permalink

    Tudo bem que o programa da Globo não está agradando a muita gente, mas nós aqui do outro lado da tela, temos a opção de escolher aquilo que queremos assistir, se não lhe agrada muda de canal, se nenhum canal não tem nada que preste, vai namorar é ótimo, se algo não nos agrada e temos a opção de escolher, pra que se estressar gente.
    Moça, sou novato por aqui, você tem bons artigos e é uma das opções pra não ver o programa BBB.

    Resposta
  • 20 de fevereiro de 2010 em 01:09
    Permalink

    Olá mana,

    Cheguei ao seu blog meio que por acaso e gostei. Vou visitar sempre. Além do mais, como cachacista juramentado, fiquei deveras interessado em experimentar a Araci. Tem algum lugar aqui no Rio onde eu possa consegui-la?

    Abraços.

    Resposta: Na Confeitaria Colombo, no centro da cidade. Três tipos: branca, amarela e envelhecida.

    Resposta
  • 19 de fevereiro de 2010 em 20:24
    Permalink

    A rede Globo perdeu totalmente a noção… Pessoas tão fúteis, sem escrúpulos… Tudo pelo dinheiro… Coitados…

    Resposta
  • 19 de fevereiro de 2010 em 19:45
    Permalink

    Precisamos mto de pessoas como vc, pessoa leal, de gdes valores. Pois o que vemos através da Rede Globo é que não querem mais o amor, o carinho, o respeito humano. A Rede Globo só quer destruir, mas terá o dia em que será destruída. Ela mesmo está cavando seu buraco. Não vejo a hora de ver para aplaudir. Ainda haverá redes em que se escolherá o que queremos que entre em nossas casas. Não podemos sequer ligar a TV pois até as propagandas da Rede Globo estão terríveis.

    Resposta
  • 18 de fevereiro de 2010 em 23:57
    Permalink

    Concordo plenamente com o segundo comentário…
    Esse tal de BBB é um programa imbecil, futil, alienante,etc, mas…. E daí?
    Não dou a mínima pra esse tipo de coisa e a existencia do pedro bial na tv
    certamente não me atrapalha em nada.
    Sei lah acho que tenho coisas mais relevantes para me preocupar.
    Abç

    Resposta
  • 18 de fevereiro de 2010 em 18:50
    Permalink

    RINHA DE GENTE! Perfeito.
    Mas de um tipo que se lança na arena para exaltar o EGO e participar deliberadamente de uma farsa, uma enganação, tipo aquelas lutas de TELECATCH que passavam antigamente.
    Muito pior que os animais, porque estes pelo menos apenas seguem os comandos naturais do instinto e de sua condição animal.
    No fim, quem patrocina o espetáculo, além de se locupletar de grana ainda incute na sociedade este modelo IDEAL de padrão competitivo de comportamento, do descarte puro e simples do OUTRO.
    Quer dizer… TUDO ERRADO.

    PS: para quem defende a alienação ou concorda com a tese do “direito a não pensar, mas relaxar”, sugiro dar uma clicada no primeiro link de ASSUNTOS RELACIONADOS, logo no fim do post. Vamos lá, pode ser de grande valia, não tema…

    Resposta
  • 18 de fevereiro de 2010 em 18:31
    Permalink

    Liberdade de expressão é tudo. Cada um faz o que quer ou que gosta. Se o tal do Bial é ruim, problema dele, existem pessoas que gostam, assim como gostam do BBB e do tal do Pedro Munhoz. Temos que parar com esses pensamentos rídiculos do tempo da ditadura, que aliás já se foi há muito tempo e muitos acham que ainda vivemos nessa época.Façamos o que nos deixa feliz, sem se preocupar com alienação ou “intelectualidades”…

    Resposta
  • 18 de fevereiro de 2010 em 15:27
    Permalink

    Todos temos o direito de não pensar uma vez ao dia. Relaxar.

    Resposta
  • 18 de fevereiro de 2010 em 11:40
    Permalink

    Parabéns, mais uma voz que se levanta contra essa barbaridade que só emburrece, tchê!
    De norte a sul são os nossos artistas populares, nossos menestréis, cantadores e trovadores que se manifestam na ‘praça pública’ da internet.
    São os excluídos da grande máquina midiática, praticando a nova forma de democracia em rede.
    Precisamos prestigiar, divulgar, espalhar a todos nossos contatos e ampliar essa corrente do bem.
    Germano (dos pampas)

    Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: