Fim de preconceito contra tatuagens pode chegar com Olimpíada

TATTOO NO JAPÃO LIGADO À MÁFIA YAKUZA

Dragão Oriental Tattoo

O preconceito em relação a tatuagens existe em vários lugares do mundo, em especial no Japão onde estabelecimentos comerciais proíbem a entrada de pessoas com desenhos visíveis feitos na pele.

É que os japoneses associam o tattoo a um comportamento antissocial ou a um possível envolvimento com o crime organizado, já que os membros da máfia Yakuza mantêm a tradição de tatuar todo o corpo.

Mas como Tóquio foi escolhida para sediar os Jogos Olímpicos de 2020, as autoridades vão desenvolver uma campanha para receber bem os atletas das mais variadas culturas que cultivam o hábito.

Os yakuza surgiram como associações criminosas e obedeciam a regras rígidas específicas. Com o tempo, passaram a influenciar diversos segmentos da sociedade e a corromper políticos japoneses.

Foi no início do século XVII que nasceram, nos grandes centros urbanos, sob a égide dos chefes de quadrilhas, a quem se uniram os temidos samurais com o fim das sangrentas guerras feudais.

Uma sociedade exclusivamente masculina, os mafiosos ainda acreditam que as mulheres foram feitas para serem mães e para cuidarem de seus maridos, não devendo se meter nos negócios dos homens.

Com Aeh!

Deixe um comentário simpático neste artigo: