Fim da Páscoa: começa a temporada de ‘descarte’ dos mini coelhos

LINDO E FOFO, MAS ACABARÁ ABANDONADO

Abandono após as festas

Do blog ECOnsciência

Os olhos grandes e as orelhas enormes, além do pelo macio, encantam mais na Páscoa do que em qualquer outra época do ano, é o que mostram as vendas dos minicoelhos na Semana Santa.

Só que assim que a badalação passar, o simpático bichinho vai acabar abandonado. Desse destino raros são os que escapam. Afinal, dão um baita trabalho e a criança logo, logo, enjoa — com uma rapidez digna dos próprios coelhos.

Na Páscoa, para se ter uma ideia, as vendas triplicam. Há sites que chegam a comercializar 70 minicoelhos em apenas 15 dias que precedem a Semana Santa. Cada bichinho, dependendo da raça, custa entre 80 e 100 reais.

Com medidas entre 25 e 35 cm, o coelho anão chega a pesar até 2,5 kg. Eles comem ração, frutas, folhas escuras e legumes e têm que se exercitar.

Existe até um projeto chamado Adote um Orelhudo! com um alerta: “Você não sabe se a pessoa vai ter tempo, disposição e dedicação para cuidar. E muitos acabam abandonados”.

ABANDONO E DESCARTE

Após a Páscoa dezenas e dezenas de bichos são recolhidos para a posterior e difícil adoção. É que passada a primeira empolgação, o animal começa a crescer, a dar trabalho e acaba sendo “descartado”.

O temperamento do animal, assim como o tamanho, dependerá da criação. Tem que interagir, senão ele fica arisco. E, apesar de pequenos, eles precisam de espaço. Gaiola, só para quando o coelho ficar sozinho em casa.

Portanto, no próximo ano que todos pensem um pouco melhor antes de atender por impulso ao capricho das crianças.

Deixe um comentário interessante neste artigo: