Fábula do machado que deu cabo da floresta, em reflexão política

QUEM TRAI AMIGOS CAVA A PRÓPRIA COVA

Marina Silva no PSB

“Um lenhador foi até a floresta pedir às árvores que lhe dessem um cabo para o seu machado.

As árvores acharam que não custava nada atender ao pedido e providenciaram o que ele queria.

Ficou decidido que o freixo, que era uma árvore comum e modesta, daria o que era necessário.

Mas, assim que recebeu o que tinha pedido, o lenhador começou a atacar com seu machado tudo o que encontrava pela frente na floresta, derrubando as mais belas árvores.

O carvalho, que só se deu conta da tragédia quando já era tarde demais para fazer alguma coisa, cochichou para o cedro:

— Foi um erro atender ao primeiro pedido que ele fez. Por que fomos sacrificar nosso humilde vizinho? Se não tivéssemos feito isso, quem sabe viveríamos muitos e muitos anos!

A moral da história não poderia ser mais sinistra: Quem trai os amigos pode estar cavando a própria cova”.

Fábula de Esopo, “As Árvores e o Machado”, lembrada por Fernando Brito em reflexão sobre a estranha alquimia política que juntou Marina Silva, Eduardo Campos, Ronaldo Caiado e família Bornhausen para a campanha presidencial de 2014.

Ilustrada por tela surrealista do pintor russo Vladimir Kush

Deixe um comentário interessante neste artigo: