Existe vida fora da Terra? Há 7 boas razões para crer que sim

Extraterrestres Humanoides

A ETERNA BUSCA POR ETs

Do blog ECOnsciência

Até onde nosso olhar alcança, amplificado pelas lentes do telescópio Hubble e dos satélites enviados aos planetas do sistema solar, por enquanto não há evidências de vida extraterrestre.

A não ser, obviamente, que sejam censuradas outras visões mais reveladoras da agência espacial norte-americana NASA, para além de anomalias banais como as que ilustram este post.

Os motivos para continuar acreditando e procurando são vários – ainda que eles talvez não sejam homenzinhos verdes de olhos grandes ou humanoides azulados da fosforescente Pandora.

Nem que seja para acabar com o nosso pretensioso ranço antropocêntrico, não devemos desistir da maravilhosa possibilidade que o Universo esteja pulsando também com a energia da vida.

ETs marcianos

1. EXTREMÓFILOS NA TERRA

Geralmente, procuramos vida em planetas razoavelmente habitáveis, sem condições tão extremas assim.

Mas os extremófilos, formas de vida extremamente resistentes, existem para nos mostrar que talvez não devêssemos ignorar planetas e luas muito quentes, gelados, tempestuosos ou instáveis.

Aqui mesmo na Terra, em locais inóspitos como o cume dos Andes e as bordas de vulcões submarinos, bactérias incrivelmente resistentes podem ser encontradas.

Vários desses microorganismos têm milhares de anos, resistindo tenazmente no limite entre a vida e a morte em ambientes venenosos.

Essa é uma prova de que formas de vida poderiam estar perambulando por planetas e luas aparentemente vazios. Nós apenas não as encontramos ainda.

Árvores em Marte

2. PRECURSORES QUÍMICOS

Uma das teorias da origem da vida na Terra aponta para O seu surgimento em reações químicas que podem ter criado membranas celulares e proto-DNA.

Mas elas também podem ter começado com complexos compostos orgânicos, como ácidos nucleicos, proteínas, carboidratos e lipídios, tanto na atmosfera quanto nos oceanos.

Já existem evidências de que esses precursores da vida existem em outros planetas e luas, com presenças comprovadas em Titã, lua de Saturno; e a Nebulosa Órion.

Não seria vida propriamente dita, com pernas e braços, galhos e raízes, mas é um ingrediente crucial para que ela surja – como foi para a vida terrestre, pelo menos.

Gêiser em solo marciano

3. EXOPLANETAS IRMÃOS

Na última década, foram descobertos centenas de exoplanetas (planetas fora do Sistema Solar). Alguns eram gigantes gasosos, como Júpiter, mas outros são menores e rochosos como a Terra.

Alguns ficam na zona de Goldilocks, uma área com temperaturas propícias para a vida em volta de estrelas – a Terra orbita em uma dessas zonas, por exemplo.

Quanto mais planetas forem descobertos, mais locais propícios para a vida deverão aparecer, consequentemente.

Há pouco foi encontrado um planeta bastante próximo, a “apenas” 42 anos-luz de distância, com condições de abrigar vida!

Caravana alienígena

4. TENACIDADE VITAL

A vida na Terra venceu enormes desafios somente para surgir, mas teve de enfrentar vários outros, também espinhosos, para se manter ao longo da história.

Entre os maiores obstáculos, podem ser citadas megaerupções vulcânicas, quedas de meteoros, eras do gelo e outras condições climáticas e geológicas extremas.

E ainda por cima, a vida mostrou-se mais capaz do que se poderia imaginar e criou milhões de formas diferentes em um período de tempo relativamente curto.

Se aqui a vida sobreviveu e ainda se diversificou, por que não poderia fazer o mesmo em outros lugares?

Cratera de meteoro

5. ORIGEM MISTERIOSA

Já mencionamos que a vida pode ter surgido com reações químicas, mas ainda não sabemos como elas ocorreram e nem como sobreviveram aos momentos difíceis que nosso planeta atravessou desde então.

Uma teoria defende que as primeiras formas de vida terrestre surgiram em outros planetas, como Marte, e vieram para cá de carona com os cometas – é a teoria da Panspermia Cósmica.

Gelo em cratera de Marte

6. OCEANOS E LAGOS

A teoria mais aceita sobre a origem da vida na terra dá conta que ela surgiu nos oceanos, e as outras geralmente envolvem a água da mesma forma.

Logo, encontrar água em outros lugares é um estímulo para novas investigações.

Marte tem fortes evidências da presença de “corpos d’água” no passado, e a já mencionada Titã tem rios e mares de metano correndo pela superfície.

Europa, uma lua de Júpiter, pode ser um gigantesco oceano aquecido pelo núcleo da lua e coberto por uma camada espessa de gelo. São mundos que podem conter ou ter contido vida.

Fóssil de animal em Marte

7. TEORIA EVOLUTIVA

Sem considerar os velhos clichês religiosos, as pessoas usam o paradoxo de Fermi para explicar que a vida fora da terra nunca será encontrada.

No lado oposto delas, está a teoria evolutiva, que sugere que a vida sempre se adapta ao ambiente em que se encontra.

Darwin não estava pensando exatamente em extremófilos quando pensou nisso, mas, de qualquer maneira, não seria errado imaginar que, onde a vida existe, ela provavelmente continuará até quando for possível.

E quando falamos em ambientes, falamos também do espaço sideral. Pode ser que a vida exista em lugares onde jamais pensaríamos em procurar.

Estradas de Extraterrestres

Com informações do excelente Jornal Ciência

Deixe um comentário simpático neste artigo: