Estudante inventa garrafa ecológica de alga em pó com água

DEPOIS DE BEBER PODE-SE COMER O FRASCO

Garrafa ecológica

Apenas estes dois números são alarmantes: chega a 1.000 anos o tempo que uma garrafa de plástico leva para se decompor; somente nos EUA, 50 bilhões de frascos de água são descartados por ano.

A menos que se dispare o nosso lixo em foguetes gigantes para ser incinerado pelo Sol, é seguro dizer que algum dia, em breve, viveremos todos numa fedorenta bola de entulho flutuando no espaço.

Medidas extremas ou exageradas como este sombrio cenário apocalíptico podem ser evitadas caso venha a ser desenvolvido em larga escala o invento do estudante de Design de Produto Ari Jónsson.

Depois de ler sobre a quantidade de resíduos plásticos produzidos todos os dias, o jovem islandês sentiu uma “urgente” necessidade de desenvolver um material natural para a sua substituição.

FRASCOS COMESTÍVEIS E NUTRITIVOS

Ao estudar os pontos fortes e fracos de variadas matérias-primas, para uso como vasilhames de água, por acaso se deparou com o pó de ágar, uma substância feita a partir de algas vermelhas.

Quando esta farinha é adicionada à água nas proporções adequadas, forma-se uma liga gelatinosa que endurece em moldes mantidos no congelador.

Enquanto a garrafa está cheia de água, ela mantém a sua forma, mas começa a se decompor quando fica vazia. O curioso é que o frasco, nutritivo, também pode ser comido após a ingestão do líquido.

Ari Jónsson exibiu seu brilhante projeto durante o festival DesignMarch deste ano, em Reykjavík. Se ninguém comprar sua ideia ecológica, nada restará a não ser apontar os foguetes para o Sol.

Clique na imagem para ampliar e nos links sublinhados do texto para saber todos os detalhes.

Deixe um comentário interessante neste artigo: