Esculturas de cachorros em pewter, a ‘prata’ que não escurece

UM DOS METAIS MAIS BONITOS QUE EXISTEM

Brindes de pewter fundido

Muita gente costuma apregoar a alta qualidade de suas joias e objetos de decoração de “prata”, porque não escurecem com o uso, sem saber que elas, na verdade, foram fabricadas com pewter.

E o que faz, exatamente, o metal oxidar até ficar com o aspecto indesejável de peça envelhecida, exigindo constantes polimentos? A quantidade de cobre que é adicionada para dar dureza à liga.

Acontece que a prata pura, assim como o estanho – principal componente do pewter -, são metais extremamente maleáveis que se deformam com facilidade. Daí a necessidade de endurecê-los.

Enfeite de cachorrinho de metal

É aí que entra o cobre e, em menor quantidade, vários componentes, como o latão, antimônio e bismuto, entre outros. Nas joias, a proporção de prata é de 95% e do pewter até 99% de estanho.

Parece pouco, mas faz toda a diferença do mundo, ainda mais em contato com outras substâncias oxidantes presentes na epiderme humana. É basicamente por isto que o pewter não escurece.

* Os cães galgo acima compõem uma coleção de pequenas esculturas com acabamento escovado, de até 9 cm de comprimento, fundidas em pewter pelo artesão norte-americano Terry Lerner.

2 comentários em “Esculturas de cachorros em pewter, a ‘prata’ que não escurece

Deixe um comentário simpático neste artigo: