Divina: monges trapistas fabricam a melhor cerveja do mundo


Belga Trappiste Westvleteren XII

ABENÇOADA CERVEJA

Aqui no Brasil tem gente que, por falta de apuro no paladar ou simples desconhecimento mesmo, acha que a nossa cerveja aguada é de boa qualidade. Fala sério, apenas algumas marcas escapam, a tal ponto de, lá fora, se referirem à pilsen brasileira em geral como “aquela aguinha suja”. Isto é público, é notório e é sabido por qualquer cervejeiro de língua treinada.

Não tive ainda o prazer de ser apresentado a ela, mas a loura belga de nome complicado, Trappiste Westvleteren XII, ganhou notoriedade internacional ao ser designada a “melhor cerveja do mundo” por um site americano especializado, em 2005. Tem tudo para ser mesmo divina, já que é produzida artesanalmente por uma ordem de monges trapistas da abadia de São Sixto.

Só que agora caiu do céu uma oportunidade única para quem estiver transitando pela região de Flandres, perto da fronteira com a França. É que, com a crise econômica da Europa, a falta de dinheiro interrompeu reformas importantes no mosteiro. Os monges não tiveram outra alternativa que não fosse vender, a título excepcional, 93.000 fardos com seis garrafas de longneck cada.

A operação de venda fora da instalação religiosa, lançada na semana passada, vem sendo motivo até agora de grandes filas na frente de algumas lojas; 85% dos estoques foram comprados no primeiro dia. O lucro, calculado em 2,3 milhões de euros, será totalmente dedicado às obras de renovação, anunciou a abadia.

Os monges lançaram a iniciativa “no espírito de prece e trabalho (Ora et Labora) de São Bento”, estipulando que “o trabalho deve prover as necessidades”.

“Há dez anos, a comunidade foi confrontada com destruições, causadas pelo tempo, no claustro. Para financiar a reforma, os irmãos trabalharam desde setembro de 2010, na elaboração de cubas suplementares de Westvleteren”, explicaram em comunicado.

Para a campanha de promoção, escolheram um slogan em latim: “Ad aedificandam abbatiam adiuvi” (“Contribuí para a construção de uma abadia”).

Depois de esgotados os estoques nos supermercados, a Westvleteren estará disponível, exclusivamente, e em quantidades limitadas, na abadia de São Sixto, onde vivem 30 monges. O mosteiro pensa lançar uma iniciativa semelhante no exterior, em 2012.

Fonte

Deixe um comentário interessante neste artigo: