Dívida eleitoral: agora é que o diabo volta para cobrar a conta

Peixe morto José Serra
PESQUISADORES ESTÃO EM DÚVIDA SE O PEIXE MORTO É UMA TILASCA OU UM PAUNUCU

PASTA DE PEIXE PARA SER DEVORADA PELOS TUBARÕES


“Passada a escovada eleitoral de 12 milhões de votos — vantagem de Dilma sobre Serra — ‘formuladores’ tucanos & jornalistas associados tentavam ansiosamente, em diferentes sessões televisivas e nos jornais, curar cicatrizes fundas com unguentos falsos.

Endossados pelo candidato derrotado em seu pronunciamento, sugerem que o robusto revés dos votos credenciou Serra a ocupar o posto de líder da oposição a Dilma Rousseff. A união oposicionista que ancora esse raciocínio é puro miolo de pote, não existe.

Sintomático foi o desconcertante antagonismo entre um discurso pretensioso, embora calcado em lugares comuns ginasianos — ‘estamos apenas começando; não é um adeus, mas um até logo’ — e o gélido isolamento do derrotado.

Dos 10 governadores eleitos pela oposição, apenas Geraldo Alckmin fazia figuração ao lado de Serra depois que as urnas deram seu veredicto fatal. Ninguém se baldeou do estado de origem para prestigiar o ‘novo líder da oposição’ na sua hora mais difícil.

São prenúncios de que o ex-governador de SP, a partir de agora, é serio candidato a virar pasta de atum no acerto de contas com desafetos e tubarões da coalizão demotucana.”

Sacado da Carta Maior, com a sensacional fotomontagem de QuantoTempoDura?

Deixe um comentário simpático neste artigo: