Dicas para beber sem ficar bêbado e pagar mico no Ano Novo

Bebida em Festa de Empresa

O ÁLCOOL NÃO TEM CULPA DE NADA. NÓS, SIM!

A Cachaça da Happy Hour

Comer e beber demais entre o Natal e o Ano Novo pode até não fazer mal nenhum; o problema é quando metemos o pé na jaca entre o Réveillon e o Natal — ensina um velho ditado.

Não existe comida que, por si só, deixe alguém gordo. Todas podem ser apreciadas. Ganhamos sobrepeso e nos tornamos obesos por comer demais e fazer combinações impróprias entre alimentos.

Da mesma forma, nenhuma bebida tem a capacidade autônoma de nos deixar zoados. Todas podem ser degustadas. Só ficamos bêbados por ingerir álcool além da conta ou fazer misturebas desastrosas.

Com isto em mente, chegamos ao auge das festas e continuamos com os grandes planos de sempre: impressionar os chefes, sogros, se divertir, conhecer alguém legal etc etc etc.

Até o Natal tudo saiu conforme o script, afinal é uma comemoração religiosa e, portanto, mais contida. Mas, agora, não. Com a virada do ano é hora de liberar geral. Aí é que mora o perigo.

Para dar um empurrãozinho em nossas “más” intenções, nos armamos com um copo na mão para atacar, sem dó nem piedade, as garrafas com bebidas alcoólicas.

Pena que tamanha desinibição possa ir daí para pior muito rápido: em questão de minutos ou horas, corremos o risco de nos transformar n@ “porrista” da festa.

Passada a amnésia, chega a conta: tropeçamos na etiqueta, quebramos coisas, ofendemos pessoas, provocamos brigas, vomitamos na parede, fomos demitidos, abandonados por todos e, efetivamente, arruinamos nossas vidas.

Ninguém deseja isso, não é mesmo? Mas acontece — e como! Confira então algumas dicas para que não sejamos os próximos “otários inconvenientes” ou as “periguetes dando mole em cima da mesa”.

Ceia de Natal Corporativo

O VEXAME DA EMBRIAGUEZ

Antes, porém, é necessário entender como o nosso corpo metaboliza o álcool, de forma a combater os potenciais vexames e desastres causados por… “ele”.

Em resumo, depois de ingerido, o álcool é absorvido principalmente a partir do intestino delgado pelas veias que recolhem o sangue do estômago e das vísceras.

A partir daí, a veia portal se encarrega de conduzir o sangue para o fígado, onde é exposto a enzimas e metabolizado.

O conteúdo de álcool no fluxo sanguíneo é influenciado por dois fatores principais:

. Ambientais — tais como a taxa de consumo de bebidas alcoólicas, a presença de alimento no estômago e o tipo de bebida alcoólica;

. Genéticos — variações nas principais enzimas metabolizadoras de álcool, a álcool desidrogenase (ADH) e a aldeído desidrogenase 2 (ALDH2).

Vamos lá então, às preciosas dicas!

Festa em empresa

DICA 1: COMA BEM

Por falta de informação ainda tem gente que acredita no contrário, mas comer é absolutamente essencial. Beber com o estômago vazio é uma receita para o desastre e um erro de principiante.

Quem não puder comer antes de sair de casa tem que ficar esperto e levar um lanche para comer onde estiver bebendo.

Como o conteúdo de álcool no sangue é afetado pelo conteúdo gástrico, devemos nos nutrir com algo mais substancial antes de beber.

Bebida exóticaProteínas e gorduras demoram mais tempo para serem digeridas e assim ficarão por mais tempo no organismo, ajudando a não deixar o mundo começar a rodar.

Num coquetel, a regra é comer um canapé sempre que a bandeja passar — mas não pague o mico de ficar andando atrás do garçom, que todo mundo repara.

DICA 2: ESCOLHA SABIAMENTE

O teor de álcool é fundamental para determinar quão bêbados podemos ficar, mas há outros fatores a serem considerados ao escolher o que beber.

Vinho tinto e destilados escuros como uísque geralmente contêm produtos químicos que podem ocasionar dores de cabeça e bagunçar nosso senso de orientação depois de apenas uma ou duas horas.

Cada pessoa reage a bebidas de forma diferente, de modo que se pode fazer alguns testes e ver como elas nos afetam antes de beber descontroladamente em uma festa de fim de ano.

Batidas e bebidas açucaradas são uma bomba atômica. Elas aumentam os níveis de açúcar no sangue, levando a um pico de energia, seguido de cansaço e/ou dores de cabeça muito antes de a festa acabar.

Além disso, elas nos entopem e deixam menos espaço para consumir coisas melhores. E, isto é importante, nunca misture destilados com fermentados.

Periguete da empresa

DICA 3: BEBA ÁGUA

O álcool é um diurético, o que significa que vamos fazer xixi pra caramba, o que, por sua vez, pode levar à desidratação. Isso, com certeza, vai causar uma bela ressaca.

Mesmo os portadores de apenas dois neurônios sabem que um cérebro desidratado não funciona bem, o que irá agravar a sensação geral de embriaguez.

Lembre-se: a água é sua melhor amiga. Não refrigerantes ou outras bebidas não-alcoólicas, água. O melhor é tomar um copo de água para cada dose de bebida alcoólica consumida.

Festa da diretoriaÉ difícil? Sim. Vamos fazer mais xixi ainda? Sim. Porém, continuemos pensando como pessoas sãs e não como bêbados sem noção.

DICA 4: DESCANSE ANTES DE BEBER

Você já reparou que, quando está cansado, uma única dose pode lhe acertar como se fossem três? Há um certo número de fatores que contribuem para esse efeito.

Para começar, quando o corpo está estressado, é mais difícil pensar claramente. Os sintomas do cansaço podem se manifestar de forma semelhante à embriaguez.

Adicionar álcool real à equação só potencializa e amplifica esse efeito.

Mais além, revelam estudos médicos, a fadiga geral ou o cansaço podem conduzir a um conteúdo de álcool no sangue mais elevado do que o normal.

É que o fígado torna-se menos eficiente no processamento e/ou eliminação de álcool quando o nível geral de energia é baixo.

Depois, como o álcool é um depressor natural, consumi-lo pode aumentar os níveis de cansaço e ampliar os seus efeitos tradicionais.

Conclusão: álcool + cansaço = bêbado chato e possivelmente incontrolável.

Festa de Fim de Ano corporativa

DICA 5: VITAMINE-SE

Quando ultrapassamos os limites da ingestão alcoólica, não só perdemos água como também alguns nutrientes importantes.

A falta dessas substâncias pode levar a sintomas de ressaca enquanto ainda estamos na festa, diminuindo drasticamente as habilidades de beber — além das habilidades sociais.

Vitaminas B são uma das primeiras coisas que o álcool chuta para fora do nosso corpo. Também precisaremos repor alguns eletrólitos.

Como curar a ressacaPortanto, escolher algum suplemento que contenha os dois componentes e tomar antes da ou durante a festa pode ajudar.

DICA 6: ESQUEÇA A CAFEÍNA

Tomar café ou energético, ou outras bebidas com cafeína, não vão necessariamente dar mais vitalidade ou tolerância a quem quer que seja.

Embora seja verdade que a cafeína mantém a pessoa mais “ligada”, isto não é garantia que vá mantê-la mais sóbria.

Na verdade, isso induz artificialmente a pensar que sim, o que por sua vez pode levar a beber muito mais, mais rápido, gerando experiências horríveis.

A pessoa também vai estar mais bêbada do que imagina, ficando portanto mais propensa a fazer algo estúpido.

Além disso, a cafeína também é diurética, como o álcool, e vai desidratar o organismo ainda mais, aumentando as chances de algum tipo de mal-estar e desconforto físico.

Ressaca de bebidas

DICA 7: CONSIDERE SUA TOLERÂNCIA

Bebedores experientes geralmente aguentam beber mais. O álcool é uma toxina, e os nossos corpos se habituam a metabolizar e lidar com ela. Esse tipo de adaptação leva tempo e repetição.

Quanto mais tolerantes somos à toxina, mais lentamente nossos corpos tentam quebrá-la e, assim, mais devagar ela é absorvida na nossa corrente sanguínea. Esta taxa de absorção varia consideravelmente entre os indivíduos.

Experientes bebedores do sexo masculino, com massa corporal elevada, podem processar até 30 gramas (38 ml) por hora, mas um número mais típico é 10 gramas (12.7 ml) por hora.

Sendo assim, quem não bebe regularmente, melhor não entornar todas no fim do ano. Não interessa quão bem hidratado ou alimentado esteja, beber muito ainda vai provavelmente cair muito mal.

Visão de BêbadoOutra opção é “treinar o corpo” para ser tolerante, bebendo mais no período antes da festa para se acostumar com o álcool. Claro que se deve considerar as consequências disso, caso as coisas saiam do controle.

Alguns estudos dizem que o consumo moderado de álcool faz bem para a saúde, mas com certeza todos apontam que o consumo exagerado faz exatamente o contrário. Portanto, temperança!

DICA 8: NÃO SEJA BESTA

Os que se sentirem tentados a se transformar na “estrela da festa” e não no “bêbado detestável”, por favor, ponham seus ticos & tecos em perfeita sintonia.

Por exemplo, não entrando em qualquer tipo de competição com colegas de trabalho ou parentes para provar quem bebe mais; essa é obviamente uma situação em que todos só têm a perder.

Quem tiver, use bem a cabeça, vá devagar, se divirta e então volte para casa em um táxi.

Essa receita deve garantir que haja mais e mais convites para muitas e muitas festas ao longo dos próximos anos.

Com HypeScience

Deixe um comentário interessante neste artigo: