Desemprego cai no Brasil e dispara no sul da Europa

NUNCA ANTES O MÊS DE MARÇO FOI ASSIM

Espírito de liderança

Essa é para quem costuma repetir acriticamente as notícias negativas que pipocam diariamente na velha mídia: o desemprego no Brasil alcançou a menor taxa para o mês de março em 12 anos.

Como ficou em 5,7%, o índice confirma o atual estágio de pleno emprego na nossa economia, dentro da média considerada “estratégica” (6%) para manter a rotatividade de mão-de-obra entre as empresas.

Esta foi a menor taxa para o mês de março desde o início da série histórica do IBGE, em 2002, ao fim do governo neoliberal. Naquele período, o número de trabalhadores desocupados chegava próximo a 20%.

Estima-se em 1,373 milhão o total de pessoas sem emprego no mês passado, um recuo de 8,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Já o contingente de pessoas ocupadas nas seis principais regiões metropolitanas do país atingiu 22,922 milhões, alta de 1,2% ante março de 2012.

O emprego com carteira de trabalho assinada cresceu 2,8% na comparação com março de 2012, o que significa que o Jornal Nacional da TV Globo vai ter que fazer muito malabarismo verbal e mostrar muito gráfico complicado para tentar esconder a boa notícia.

Agora compare com o que ocorre na zona do euro: a poderosa Espanha ultrapassou, pela primeira vez na sua história, os seis milhões de desempregados, para uma população quatro vezes menor que a nossa.

Este número corresponde a um novo e trágico recorde: 27,16%, segundo os mais recentes dados divulgados pelo instituto espanhol de estatística.

O que é mais dramático e trará sérias consequências para o futuro é que, entre os jovens, o índice de desemprego alcança 57,22% entre os menores de 25 anos.

No final de março, havia 6.202.700 desempregados, mais 237.400 do que no trimestre anterior. Na União Europeia, só a Grécia, com 27,2% em janeiro, tem um índice ligeiramente mais alto. Portugal, também, já está chegando lá.

Mesmo com estas comparações em aberto, a velha mídia prossegue tocando o terror com o que acontece no Brasil. O objetivo parece claro.

Deixe um comentário simpático neste artigo: