Crianças carentes sobrevivem tirando fotos de suas comunidades

PROJETO CRIANÇA ESPERANÇA VERDADEIRO

Crianças africanas

Um enorme acervo de fotos que refletem alegria, esperança e amor, por mais precárias que sejam, aos nossos olhos, as condições de vida em comunidades invisíveis ou esquecidas pelo progresso.

A galeria foi formada pelos pequenos fotógrafos carentes, que registram a realidade, o duro cotidiano em que vivem, para arrecadar dinheiro e ajudar as pessoas do seu entorno social.

O grupo de crianças integra o projeto 100cameras, fundado em 2009, uma organização sem fins lucrativos e mantida por doações.

A equipe que compõe o projeto ensina as crianças a partilharem suas histórias de vida por meio de fotos do dia-a-dia. As imagens então são vendidas e o lucro é revertido para elas.

De que maneira? Metade do valor é destinada à comunidade, ajudando nas ações concretas, e a outra metade contribui para a manutenção do projeto, como os custos de produção.

Crianças carentes recebem ajuda financeira tirando fotos do cotidiano

Quando surgiu a ideia do projeto, o primeiro lugar a ser testado foi o Sudão, em 2008. Câmeras foram deixadas com as crianças de um orfanato e, após um tempo, devolvidas.

Foi quando aconteceu a maior surpresa: contrariando as condições adversas que muitos vivam ali, as imagens registradas estampavam… felicidade!

“Estas crianças já passaram por algumas das piores circunstâncias, mas suas fotos refletem alegria, esperança e amor”, afirma o 100cameras, no site do projeto.

Formada por nove pessoas, a equipe identifica as comunidades onde há crianças marginalizadas e busca parceiras com organizações locais que já têm esse público como foco de trabalho.

Para dar conta da tarefa, contam com o apoio de 40 voluntários. O projeto já foi implantado no Sudão, Cuba e Índia, além de cidades dos EUA – sim! – como Nova York e Baltimore.

Projeto 100cameras

Com CicloVivo

Deixe um comentário interessante neste artigo: