Criado processo mais inteligente de fermentação da cerveja

REAÇÃO EM CASCATA E MENOS POLUIÇÃO

Chope com colarinho

Você talvez não saiba, mas se beber cerveja faz um bem danado ao espírito, o mesmo não se pode dizer das consequências sobre o meio ambiente.

E não é porque você vai descarregar os rejeitos líquidos na rede de esgoto, mas pela poluição causada antes disso, durante a fabricação da bebida.

Foi por este motivo que engenheiros alemães desenvolveram um novo processo industrial de produção que usa um sistema de fermentação contínua, sem as paradas dos sistemas tradicionais.

As cervejarias acalentam há mais de 100 anos o sonho de transformar o sistema clássico de fermentação, que é descontínuo, ou em lotes, em um processo contínuo.

FERMENTAÇÃO TRADICIONAL

A fermentação e a maturação são as fases mais demoradas do processo de fabricação da cerveja. É nestas etapas de produção que a cerveja desenvolve o seu sabor e o aroma característicos.

Normalmente, as cervejarias usam grandes tanques de aço inoxidável cilindrocônicos. Esses tanques têm apenas uma entrada e uma saída na base, para o enchimento e a descarga da cerveja e da levedura.

Quando a fermentação é concluída, os funcionários liberam o dióxido de carbono que se acumulou nos tanques, esvaziam-nos e então limpam-nos completamente – um processo que normalmente leva várias horas.

A seguir, os tanques podem ser recarregados com o próximo lote. Porém, os tanques não estão produzindo nada durante todo o período de enchimento, esvaziamento e limpeza.

Processo de fermentação da cerveja

FERMENTAÇÃO CONTÍNUA

A solução para se livrar do processamento em lotes é inacreditavelmente simples.

Os técnicos da Universidade de Munique equiparam os tanques normais com um tubo central, com o fundo aberto. Isso permite a combinação dos tanques, criando uma reação em cascata.

Com este cascateamento dos tanques, a levedura e outras substâncias sedimentadas podem ser fracionadas e até reutilizadas.

Instalando um tubo virado para baixo, criaram duas zonas de reação em cada tanque. Assim, ao contrário do sistema convencional, os fabricantes de cerveja podem encher e esvaziar os tanques continuamente a partir da parte superior dos reservatórios.

A conexão no fundo do tanque pode, portanto, ser usada para descarregar as células de levedura e outras partículas.

Outra vantagem é que a operação contínua torna a planta de fermentação mais eficiente. Por dois motivos:

1º) Este novo método reduz a incidência de picos de energia, de modo que as cervejarias poderão economizar energia elétrica;

2º) A perda de cerveja será menor – e as cervejarias poderão racionalizar o consumo de água e materiais de limpeza.

Como é que ninguém nunca havia pensado antes em conectar os vários tanques e resolver um problema de um século usando um simples cano?

Este talvez seja um bom assunto para a próxima rodada de cerveja com os amigos.

Com Inovação Tecnológica

Deixe um comentário simpático neste artigo: